Sabe quando você compra um celular novo e ele vem cheio de porcaria, com um monte de aplicativos que você nem sabe para o que serve e que acabam apenas ocupando espaço à toa no seu espaço de armazenamento? Você também pode enxergar isso com outros olhos, e ver o quanto é prático já ter um smartphone em mãos com Gmail, YouTube, Chrome, Maps e outros recursos bastante úteis sem a necessidade de ter que baixá-los.

Pois uma pesquisa feita na Europa mostrou que 70% dos usuários de sistema Android preferem ter esses apps já instalados em seus aparelhos novos. Dado o resultado um pouco duvidoso, visto que uma conversa rápida com quem usa smartphones mostra que a maioria das pessoas não fica muito feliz com aplicativos sendo empurrados à força para eles, resolvemos entender melhor o estudo para descobrir o que fez com que mais de dois terços dos usuários do sistema operacional da Google “mudassem de ideia” assim tão fácil.

Quem está por trás disso?

A pesquisa foi realizada pela Application Developers Alliance, autointitulada a maior defensora de desenvolvedores de software com membros que incluem “líderes na indústria do desenvolvimento de software para consumo, empresas e indústrias”.

A empresa [Google] vem se defendendo da acusação de que seu conjunto de aplicativos pré-instalados em modelos com SO Android afete a regra de livre competição entre aplicações para celular

Vale lembrar também que a Google tem bastante interesse nesse resultado: a empresa vem enfrentando os tribunais da União Europeia se defendendo da acusação de que seu conjunto de aplicativos pré-instalados em modelos com SO Android afete a regra de livre competição entre aplicações para celular, de certa forma obrigando os usuários – pela conveniência de “já estar lá mesmo” – a usarem os serviços da Google.

O fato das pessoas terem preferência por aplicativos já instalados no celular novo daria carta branca para o Google deixar seu pacote de apps nos Androids novos, e mais: permitiria que outros desenvolvedores e fabricantes de smartphones continuassem enchendo seus aparelhos cada vez mais com seus próprios aplicativos, o que costuma ser bastante desagradável, diga-se de passagem.

Analisando o estudo

A pesquisa, apesar de tudo, é bastante interessante e mostra uma série de dados interessantes sobre o comportamento dos usuários do sistema Android em quatro países europeus: Itália, Alemanha, França e Espanha. Um dos dados mais significantes (e aparentemente não alterado) mostra que 90% dos usuários alteram as telas iniciais de seus smartphones para que fiquem da maneira que mais agradem.

As únicas lideranças da Google estão nas áreas de streaming de vídeo (com o YouTube), email (com o Gmail), e armazenamento na Nuvem (com o Drive)

Quanto aos aplicativos favoritos divididos em suas categorias, a lista é bem diversa e apesar do pacote da Google já vir pré-instalado nos dispositivos com sistema operacional Android, apenas alguns lideram em suas respectivas áreas. O estudo mostra os resultados divididos entre os países pesquisados, mas os resultados são muito parecidos.

As únicas lideranças da Google estão nas áreas de streaming de vídeo (com o YouTube), email (com o Gmail), e armazenamento na Nuvem (com o Drive). Na hora de encontrar passagens aéreas para se comprar, os europeus também utilizam um serviço da Google: o Search, ou a ferramenta de busca.

O segredo

Ao analisar a pergunta feita para os cerca de 4 mil entrevistados, podemos ter uma ideia do que foi feito para que o resultado mostrasse que 70% dos usuários preferem ter aplicativos pré-instalados no celular:

“If you were to buy or receive a new Android device, would you prefer it to come with basic apps so it works out of the box (like an iPhone)?”. Em tradução livre, isso significa perguntar “Se você fosse comprar ou ganhasse um novo dispositivo com Android, você preferiria que ele viesse com aplicativos básicos para que possa ser usado do jeito que sair da caixa (como um iPhone)?”.

É notável que a pergunta foi mal formulada e induz o questionado a acreditar que o contrário disso é um smartphone que não funcionaria imediatamente após ser tirado de sua embalagem

É notável que a pergunta foi mal formulada e induz o questionado a acreditar que o contrário disso é um smartphone que não funcionaria imediatamente após ser tirado de sua embalagem, ou pior, que não poderia ser usado de jeito nenhum sem que esses aplicativos estivessem instalados.

A opinião sobre apps pré-instalados pode dividir muita gente, obviamente pesando para o lado das pessoas que acham inconveniente e até irritante esse uso de espaço de armazenamento sem a vontade delas. Ainda assim, pesquisas como essas podem refletir um público que ou repensa esse posicionamento ou que acabou sendo induzido a uma resposta por uma pergunta mal elaborada. De qualquer forma, isso só tem a beneficiar a Google, que pretende – para o bem ou mal de seus clientes – continuar reforçando seus pacotes de aplicativos já instalados no sistema Android.

Cupons de desconto TecMundo: