Começou esta semana o Intel Innovation Week, um evento realizado pela fabricante para apresentar tudo de melhor que a empresa têm disponível no mercado atual, seu planos para o futuro próximo e o que pretende lançar em datas mais longínquas. Dando início à ocasião, a companhia montou em São Paulo o Future Showcase, mostrando vários desdobramentos de suas tecnologias para desenvolvedores, empresários e também para o público final.

No espaço, a Intel dividiu seus produtos em três espaços delimitados, separando as tecnologias entre as de “Hoje”, que já estão no mercado, as de “Amanhã”, que devem ser lançadas em breve, e as do “Futuro”, que ainda estão sendo desenvolvidas e vão demorar algum tempo para chegarem. O TecMundo foi lá conferir as novidades da empresa e mostra agora tudo o que vêm por aí.

O que tem pra hoje

Como uma das maiores empresas de processadores do mundo, a Intel possui componentes dentro de uma ampla gama de dispositivos de várias marcas, voltados para todo tipo de necessidade do público. Na área “Hoje”, a companhia exibiu notebooks, computadores all-in-one, híbridos, tablets, smartphones com Windows Phone e Android e até Chromebooks que carregam seus chips em seu interior e já estão no mercado.

A Intel também exibiu um novo aplicativo de mensagens para Android e iOS, o Pocket Avatars. Por meio dele, você pode usar sua câmera para conversar com seus amigos, enquanto suas expressões faciais, movimentos de cabeça e da boca e voz são capturados e reproduzidos pelo avatar animado tridimensional de sua escolha. Além disso, a empresa também exibiu a solução de segurança presente em seus produtos, feita em parceria com a McAfee.

Para quem gosta de inovar e criar, a fabricante exibiu suas placas Galileo e Edison. A empresa demonstrou a utilização de um aplicativo e da nuvem para controlar um sistema de luzes LED ligadas ao componente e programou a placa maior para reagir a postagens específicas nas redes sociais. “Você poderia integrá-la à porta da sua garagem para que ela se abra sempre que você fizer um checkin em casa, por exemplo. Sua criatividade é o limite”, disse o representante.

Saúde e vigilância

Além disso, também pudemos conferir o funcionamento do Basis Health Tracker, que monitora em detalhes suas atividades físicas e horas de sono, especificando níveis de transpiração, batimentos cardíacos, estágios do sono e muito mais. Tudo isso pode ser exibido na forma de relatórios e gráficos e possui utilidade não somente para exercícios, mas também para exames médicos e eventualmente até para planos de saúde e seguros

Por fim, também foi exibido um novo sistema feito pela empresa brasileira Autofind chamado Btag, que usa a tecnologia RFID para identificar carros que passarem por certos radares a até 190 km/h. A novidade deve começar a ser implantada nos próximos anos e permitirá saber que os automóveis marcados possuem dívidas de IPVA, licenciamento ou multas ou até mesmo se foram roubados – tentar simplesmente remover o aparelho faz com que ele se autodestrua.

Vem por aí

Chegando à área separada para os produtos de “Amanhã”, que devem chegar ao mercado em pouco tempo, já nos deparamos de cara com o Wireless Charging Bowl da Intel, uma tigela que usa uma tecnologia baseada em bobinas para recarregar dispositivos que sejam colocados em seu interior. O diferencial do produto é a capacidade de abastecer mais de um aparelho por vez, tudo sem que você precise se preocupar com seu alinhamento em relação à “base”.

Outra novidade que chegará em breve é o par de fones de ouvido SMS Audio BioSport In-Ear, que vêm com um sistema infravermelho embutido capaz de medir seus batimentos cardíacos. Ainda na área, pudemos conhecer o aparelho 2-em-1 da Intel que serve como design de referência para outras companhias interessadas, o Llama Mountain, que se destaca de sua base com grande facilidade.

Contando com um processador Core M capaz de funcionar com baixo consumo de energia, o aparelho não necessita de ventoinhas para resfriamento e de baterias pesadas, o que o deixa com a fina espessura de 7,2 mm e um peso surpreendentemente leve, mesmo com uma tela Quad HD (2560x1440 pixels) de 12,5 polegadas. A versão de 10 polegadas é ainda mais fina, com apenas 6,8 mm, e pesa apenas 550 gramas.

Referências de peso... não, espera

Além do híbrido, a Intel também exibiu o design de referência Black Brook para um PC tudo-em-um portátil. Com um suporte dobrável que permite que o aparelho seja usado no ângulo que você preferir – até deitado –, o dispositivo vem com uma tela Full HD (1080p) de 23,6 polegadas capaz de identificar até 20 toques simultâneos.

Além disso, sua espessura de 2 cm se soma ao seu peso bastante leve e à uma pequena alça oculta para permitir que ele seja transportado pela casa com facilidade – e uma bateria interna faz com você que sequer tenha que desligá-lo para isso. O aparelho vem ainda com uma câmera de profundidade 3D integrada e um sistema de áudio completamente integrado.

Vale ressaltar, no entanto, que tanto o Black Brook quanto o Llama Mountain são apenas conceitos, de forma que podem ou não utilizados por outras empresas para a criação de produtos similares que realmente cheguem ao mercado. Dessa forma, ainda não é possível estimar preços ou datas de lançamento.

Do 3D aos hologramas

A Intel também exibiu na área das tecnologias de “Amanhã” seu sistema RealSense 3D Camera, cuja miniaturização agora permite sua integração diretamente às carcaças de aparelhos all-in-one, híbridos, tablets e notebooks, entre outras possibilidades. Com resolução Full HD (1080p) e um sensor de profundidade, a novidade acrescenta capacidades avançadas de reconhecimento facial (incluindo emoções), digitalização 3D e remoção de fundo.

A maior vantagem da novidade, porém, é a sua utilização para o reconhecimento avançado de gestos. Com as novas câmeras, a tecnologia da Intel permite o rastreamento de todos os 10 dedos das mãos dos usuários e de suas articulações, possibilitando programas com funções gestuais avançadas e até mesmo jogos mais interativos – como exemplificado pelo divertido Save the Hoplites, no qual você deve usar sua mão para criar pontes para os personagens.

Um ponto de destaque possibilitado pela tecnologia e demonstrado pela Intel no evento foi o sistema “holográfico” da Illusion Springs. O aparelho usa uma combinação de projeção de imagens e câmeras 3D para permitir a interação com uma “tela flutuante” no melhor estilo Homem de Ferro e Minority Report. Desde que você esteja posicionado de frente para o dispositivo, é possível ver os ícones e interagir com eles em pleno ar.

Em um futuro não tão distante

Prevista como um recurso opcional que deve ser disponibilizado em breve no 2-em-1 educacional da Intel, o Classmate, a Arquitetura de Energia Alternativa (APA, na sigla em inglês) possibilita uma experiência de abastecimento solar no estilo “plug-and-play” para o usuários. A ideia é usar pequenos painéis solares portáteis para recarregar diretamente os dispositivos e permitir sua utilização mesmo em lugares sem acesso à rede elétrica.

Além de inserir a funcionalidade diretamente em alguns dos aparelhos, a Intel também vem desenvolvendo o Smart Solar Controller, que pode ser ligado aos painéis e disponibiliza “tomadas” de carregamento para os dispositivos, tenham eles a APA ou não. Dessa forma, classes inteiras em regiões carentes poderiam usar os híbridos e depois ligá-los ao controlador para recuperar energia.

A Intel também mostrou um pouco do projeto do robô humanoide de código aberto, o Jimmy – sobre o qual falamos neste artigo. A empresa ressaltou que os modelos tridimensionais do robozinho podem ser adquiridos por custos reduzidos e produzidos com impressoras 3D, de forma que se torna necessário pagar mais caro apenas pelas partes eletrônicas. Infelizmente, o Future Showcase não contou com uma demonstração funcional da novidade.

O carro do futuro

Entrando em um conceito mais relacionado à Internet da Coisas (IoT, na sigla em inglês), a empresa demonstrou o funcionamento do que acredita que serão os carros do futuro. Para eles, os veículos se tornarão tão inteligentes que conseguirão reconhecer não somente que você e seus passageiros são, mas também todos os dispositivos que estiverem em seu interior e na área ao seu redor.

Os automóveis poderão aprender e compreender seu comportamento ao longo do tempo e oferecer sugestões baseadas em suas preferências pessoais, mas sem deixar de adaptar suas dicas e ações de acordo com o contexto. Dessa forma, a tecnologia poderia recomendar trajetos com base no comportamento habitual do motorista, em seu estado de espírito, nas informações de dispositivos em seu interior e até mesmo nos dados de outros veículos.

No exemplo dado, o usuário estava dirigindo enquanto esperava os resultados de um exame médico. Ao receber a resposta, o veículo o notificou da chegada da mensagem e permitiu sua leitura somente quando o carro foi parado em um semáforo. Ao notar que as informações conturbaram o usuário, o automóvel sugeriu uma rota menos movimentava e estabeleceu um limite mais baixo para a velocidade de deslocamento.

Proteção high-tech

Um mundo conectado à IoT abre também espaço para uma série de ameaças causadas pela invasão dos sistemas ligados por pessoas mal-intencionadas. Usando um autorama com dois carrinhos, o representante da Intel demonstrou como a internet poderia ser utilizada para causar acidentes em veículos inteligentes simplesmente ordenando um aumento na sua velocidade por meio de um “hack”.

No entanto, a empresa desenvolveu um mecanismo flexível de segurança para detectar sempre que alterações forem feitas a partir de fontes externas. Com esse alerta, as fabricantes poderiam programas seus sistemas inteligentes para que impedissem automaticamente as invasões, parassem de funcionar quando atacados ou executassem outras funções como resposta às ameaças.

E aí, o que você achou de todas as tecnologias exibidas pela Intel? Está ansioso por esse futuro cada dia mais impressionante? Deixe sua opinião nos comentários.