Do mesmo modo que nós não usamos as redes sociais apenas para compartilhar virais polêmicos, postar fotos de gatinhos e provocar os colegas que torcem para o time rival – embora esses sejam temas recorrentes nessas plataformas –, o Facebook também tem muito mais a oferecer que um novo logo e a ferramenta do Celebrate Pride. Na última quarta-feira (1º), Mark Zuckerberg usou seu perfil no serviço para falar um pouco do trabalho desenvolvido pela empresa para utilizar lasers para compartilhar a internet em várias regiões do mundo.

O projeto está sendo elaborado pelo Connectivity Lab, uma divisão do Facebook especializada em soluções de conectividade, e também faz parte dos esforços da companhia em colaborar com a iniciativa Internet.org – que tem a missão de trazer 4,5 bilhões de pessoas atualmente desconectadas para a web. Mas, afinal, como será que a tecnologia pode ajudar a expandir a internet? Para responder a essa questão, Yael Maguire, um dos engenheiros da rede social, foi ao YouTube e deu uma palhinha sobre o tema.

As part of our Internet.org efforts, we’re working on ways to use drones and satellites to connect the billion people...

Posted by Mark Zuckerberg on Quarta, 1 de julho de 2015

No clipe – em inglês, que você pode conferir no começo da matéria –, o profissional fala em como a estrutura tradicional de centrais de distribuição de sinais e dados em terra pode não ser a resposta ideal para todos os casos. A densidade demográfica da população varia bastante por todo o mundo, fazendo com que satélites possam ser soluções mais propícias para comunidades mais afastadas. Outras áreas podem exigir drones ou aviões voando a 20 mil metros de altura para que a conexão seja distribuída adequadamente.

Parece algo fácil de ser implementado, mas demanda estudos e cálculos precisos para fazer com que tudo funcione de forma perfeita e que, ao mesmo tempo, não exija grandes gastos por parte dos usuários. Para integrar tudo isso, a ideia do Facebook foi utilizar mecanismos laser para interligar os equipamentos e garantir uma capacidade de transferência de dados tão potente que pode chegar a rivalizar com as badaladas redes de fibra ótica. Além disso, existe algo mais bacana do que lasers para resolver um problema? A resposta dos geeks provavelmente é: não!

Zuckerberg compartilhou em sua plataforma social algumas fotos de uma demonstração real da tecnologia, parecendo bastante empolgado com o progresso do projeto. Conferir os feixes partindo de um item para o outro é algo de babar, mas vale dizer que o visual hi-tech foi usado apenas para efeitos dramáticos, já que o laser não será visível quando o recurso estiver efetivamente implementado pelo globo.

Cupons de desconto TecMundo: