A principal célula brasileira da Anonymous está bem ativa nos últimos dias: em primeiro lugar, foi anunciado o sequestro de computadores da Anatel via ransomware; depois, foi indicado que mais de 20 GB de dados do Ministério Público do Mato Grosso foram pegos. Hoje, após a Anatel negar o sequestro, a célula postou uma das provas da invasão. Agora, ela indica que a briga também é outra: a maior página da Anonymous no Facebook é falsa.

Com quase 1,5 milhão de seguidores, a página AnonymousBrasil (@AnonymousBr4sil) virou alvo dos verdadeiros hackers por trás da célula. O problema em questão é que a página não tem qualquer relação com as ideias da Anonymous. Pior: a página é aliada de movimentos políticos verticalizados com alvos e intenções bem definidas. Conversamos faz um tempo com a maior célula "Anon" no país — algo que você pode conferir aqui — e eles comentaram o seguinte: "É uma ironia a maior página do Facebook com o nome do Anonymous não ter nenhuma relação com a ideologia do grupo".

Durante a entrevista, os hacktivistas da célula disseram que a maior página do Facebook é o "oposto do que somos". Veja a reposta na íntegra:

  • Anonymous: "Para agravar, a ausência de clareza do que significa liberdade de expressão levou a muitos jovens a ideia de que significa ‘fale o que quiser sem ser punido por isso’, de modo que as comunidades virtuais abertas da Anonymous estão repletas de gente defendendo militarismo, machismo, homofobia, racismo, violência policial e atacando os direitos humanos, em um fluxo completamente contrário a uma ideia libertária".

Incrivelmente, a página tem verificação com selo de autenticidade fornecido pelo Facebook

Outra grande dificuldade é que atualmente a grande mídia tem forçado um dualismo ideológico no país, segundo o qual você deve ser governista ou oposição, como se esses blocos fossem hegemônicos. Então, toda vez que nos opomos ao governo, pensam que somos ‘tucanoscoxinhas’; e na mesma medida, quando dizemos que o governo acertou ou denunciamos a oposição, somos "petralhas". Não é fácil trabalhar nesse cenário, mas o compromisso que assumimos é justamente o de destruir a cultura de controle das grades mídias, então é preciso ter paciência e insistência”.

Ligações políticas

Como citado anteriormente, a maior página do Facebook é aliada de movimentos políticos verticalizados com alvos e intenções bem definidas: abaixo, você vê algumas imagens mostrando a relação da AnonymousBrasil com o Movimento Brasil Livre, que tem como líder Kim Patroca Kataguri, de 19 anos. Então, fica a pergunta: por que carregar um nome sem qualquer relação com as atitudes realizadas e, ainda, fazer um desserviço ao confundir o público com ideias que não são as levantadas pela Anonymous?

Relacionamento contrário aos ideais Anonymous

Anônimos não anônimos?

Durante a entrevista, a célula comentou que, no início de sua existência, a página @AnonymousBr4sil deixava ambígua a relação com a Anonymous, indicando que fazia parte da legião hackativista. Pouco tempo depois, por meio de posts, ela começou a se intitular como "algo fora disso", mesmo que ainda carregue o nome e até, incrivelmente, uma verificação com selo de autenticidade fornecido pelo Facebook.

"A @AnonymousBr4sil, cujo dono, Fabrício Ferreira, está lucrando e enganando as pessoas em cima do trabalho dos verdadeiros hackers anônimos (...) A página têm divulgado ideias deturpadas do que significa a luta da ideia 'Anonymous' no Brasil — quiçá no mundo", manifestou em post a célula. "Ela está sendo utilizada, atualmente, para a promoção dos interesses pessoais de seu dono, Fabrício Ferreira, que alegremente divulga sua identidade na obtenção de lucro financeiro, apoio político e defesa de partidos de direita — e agora como plataforma de propaganda para seus projetos de empreendedorismo".

Anônimo, de acordo com o dicionário, significa aquele que não revela o seu nome

A célula também comentou, durante a entrevista, que sabe quem é o dono da @AnonymousBr4sil. No post, foi dito o seguinte: "Esse cidadão se autodenomina CEO da Anonymous Brasil, fundador, líder político, espiritual e religioso. Ele efetua pagamentos frequentes para alavancar suas publicações e atrair mais seguidores, possui uma extrema necessidade de se autopromover, faz propagandas de seus produtos, defende políticos conservadores e não possui qualquer estrutura ativista ou hacktivista. Isso absolutamente nada tem a ver com os fundamentos da ideia Anonymous a que todos estão acostumados".

Anônimo, de acordo com o dicionário, significa aquele "que não revela o seu nome". Ainda, "que não tem o nome ou a assinatura do criador; sem autoria". Algo que fica um pouco contraditório para a maior página do Facebook, convenhamos.

"A Anonymous não possui líderes ou cargos duradouros. Como ética hacktivista, nossas ações políticas são para defender um bem maior e não para autopromoção. Nós temos atenção da mídia e do público como consequência, e não como prioridade", comentou a célula. "Não costumamos enfrentar cidadãos que não fazem parte de alguma agência governamental ou executivos de alto escalão em empresas que se colocam contra a vontade do povo. Porém, se o Fabrício Ferreira (da @AnonymousBr4sil) acha que pode continuar usando o nome da nossa ideia para fazer fama, ficar famoso e lucrar, saiba que está totalmente equivocado".

Caso você queira receber informações diretas das páginas das células brasileiras Anonymous, abaixo você encontra os links.

Cupons de desconto TecMundo: