O que é preciso saber antes de doar sangue?

4 min de leitura
Imagem de: O que é preciso saber antes de doar sangue?
Imagem: Unsplash/Nguy?n Hi?p
Avatar do autor

A doação de sangue é uma prática segura, solidária e que tem um efeito prático muito importante: uma única doação pode salvar até quatro vidas, segundo o Ministério da Saúde. A doação de sangue é fundamental para o tratamento de vítimas de acidentes e pacientes com doenças crônicas graves, e garante que possam viver com mais qualidade de vida.

Saiba mais sobre como funciona a doação de sangue, e quem pode se tornar um doador.

É seguro doar sangue?

Material de coleta é estéril e individual. (Fonte: Unsplash/Hush Naidoo Jade Photography)Material de coleta é estéril e individual. (Fonte: Unsplash/Hush Naidoo Jade Photography)Fonte:  Unsplash/Hush Naidoo Jade Photography 

Doar sangue não traz nenhum risco ao doador. O material de coleta é estéril, além de ser de uso individual e descartável, garantindo que nenhum voluntário se contamine durante a doação.

Ao contrário do que dizem alguns mitos, doar sangue não engrossa e ou afina o sangue, e nem “obriga” o doador a continuar doando pelo resto da vida. A doação de sangue é voluntária, e o indivíduo tem liberdade para escolher se quer ou não doar.

Além disso, o volume coletado é de no máximo 450 ml, uma quantidade que não impacta na saúde do doador e que é rapidamente reposta pelo organismo.

Quem pode doar sangue?

Existem algumas condições para realizar a doação. (Fonte: Pexels/Karolina Grabowska)Existem algumas condições para realizar a doação. (Fonte: Pexels/Karolina Grabowska)Fonte:  Pexels/Karolina Grabowska 

Para doar, é necessário ter mais de 50 kg e ter entre 16 e 69 anos. Aqueles que tiverem 16 e 17 anos precisam de autorização de um pai ou responsável, e aqueles que tiverem idade entre 60 e 69 só podem doar caso já tiverem doado alguma vez antes de completarem 60 anos.

Existem algumas condições que impedem a doação, como:

• Ter tido hepatite após os 11 anos de idade;

• Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas ao vírus HTLV I e II e/ou Doença de Chagas;

• Uso de drogas ilícitas injetáveis;

• Malária;

• Ter recebido enxerto de dura-máter;

• Câncer, incluindo leucemia;

• Problemas no pulmão, coração, rins ou fígado ou de coagulação de sangue;

• Diabetes com complicações vasculares ou já ter usado insulina;

• Tuberculose extrapulmonar, elefantíase, hanseníase, leishmaniose visceral e tegumentar, brucelose ou esquistossomose hepatoesplênica.

Outras condições podem impedir temporariamente a doação de sangue, como febre, gripe ou resfriado, anemia e diarreia recente. Aqueles diagnosticados com covid-19 devem esperar 10 dias após estarem plenamente recuperados dos sintomas para poderem doar.

Não é possível doar estando grávida e nem amamentando, e mulheres no pós-parto precisam aguardar 90 dias após o parto normal e 180 dias após a cesariana para poderem doar sangue.

É recomendado que aqueles que tiverem sido expostos a situações de risco acrescido para infecções sexualmente transmissíveis aguardem 12 meses após a exposição para doar. Não é possível doar caso tenha feito tatuagem ou colocado piercing nos últimos 12 meses.

Como é feita a doação de sangue?

É importante tomar alguns cuidados antes de realizar a doação. (Fonte: Pixabay/michellegordon2)É importante tomar alguns cuidados antes de realizar a doação. (Fonte: Pixabay/michellegordon2)Fonte:  Pixabay/michellegordon2 

É possível realizar a doação em hospitais públicos e privados que possuam bancos de sangue próprios. Há também hemocentros licenciados pela Vigilância Sanitária onde é possível realizar a coleta.

Deve-se levar um documento oficial com foto e estar bem alimentado e hidratado, mas não com o estômago cheio. É necessário evitar o consumo de bebidas alcoólicas nas 12 horas que antecedem a coleta, e de alimentos gordurosos por pelo menos 4 horas antes da doação. Também é importante que o doador tenha tido pelo menos 6 horas de sono nas últimas 24 horas antes da coleta.

O processo leva em média 40 minutos, e inclui um cadastro com questionário, alguns testes, como o de anemia, e uma entrevista, onde são realizadas algumas perguntas sobre histórico médico, hábitos de vida e uso de medicamentos e histórico de vacinas. O doador deve ser sincero nas respostas, pois é isso que vai garantir a segurança de quem doa e de quem recebe o sangue.

Após a doação, o doador deve descansar por 5 a 15 minutos. É importante aumentar o consumo de água e esperar pelo menos 2 horas antes de fumar e pelo menos 12 horas antes de consumir bebidas alcoólicas.

O que acontece após a doação?

Sangue coletado passa por testes. (Fonte: Pixabay/AhmadArdity)Sangue coletado passa por testes. (Fonte: Pixabay/AhmadArdity)Fonte:  Pixabay/AhmadArdity 

O sangue coletado é separado em três componentes: hemácias, plaquetas e plasma. Depois, são realizados exames para determinar o tipo sanguíneo e para detectar possíveis doenças que possam comprometer o sangue doado. Como o sangue é separado em diferentes componentes, uma única doação pode ajudar mais de um paciente.

Para contribuir ainda mais, é possível tornar a doação em um hábito, bastando respeitar o intervalo indicado pra cada doação, que é de dois meses para os homens (até 4 vezes por ano) e de três meses para as mulheres (até 3 vezes por ano).

A doação de sangue é uma prática simples e rápida, mas que pode salvar muitas vidas. Procure uma unidade de coleta e faça a sua doação.