Centro que abriga acelerador de partículas brasileiro sofre ataque hacker

1 min de leitura
Imagem de: Centro que abriga acelerador de partículas brasileiro sofre ataque hacker
Imagem: LNLS/CNPEM
Avatar do autor

O Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização científica brasileira que abriga o maior acelerador de partículas de luz síncroton do mundo, sofreu um ataque hacker na noite de sábado (16), do tipo ransomware, que bloqueia o acesso aos sistemas infectados, geralmente cobrando um resgate pela liberação.

Localizado no Pollo II de Alta Tecnologia de Campinas (SP), o CNPEM é uma organização vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), que coordena quatro laboratórios nacionais. entre eles o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS). Essa instalação é responsável pela operação do Sirius, superlaboratório de R$ 1,8 milhão e um dos dois únicos aceleradores de elétrons de quarta geração existentes no mundo.

O que aconteceu com o Sirius?

Fonte: LNLS/CNPEM/Divulgação.Fonte: LNLS/CNPEM/Divulgação.Fonte:  LNLS/CNPEM 

O CNPEM divulgou um comunicado à imprensa garantindo que o Sirius não foi afetado pelo ataque cibernético. "A operação e os dados do Sirius foram preservados, devido aos rígidos padrões de segurança adotados pelo Projeto. Dados do Sirius são armazenados na nuvem e seus aceleradores de elétrons e estações de pesquisa utilizam sistemas customizados, desenvolvidos pela equipe do CNPEM e sem acesso à rede", diz a nota.

Além disso, o hack foi contido a tempo por técnicos da área de tecnologia do próprio centro e da Rede Nacional de Pesquisa (RNP), que conseguiram restabelecer parte dos serviços afetados, embora alguns computadores tenham sido comprometidos.