Astronautas chineses voltam à Terra após missão espacial de 3 meses

2 min de leitura
Imagem de: Astronautas chineses voltam à Terra após missão espacial de 3 meses
Imagem: Axel Monse/Shutterstock
Avatar do autor

Na sexta-feira (17), às 2h34 no horário de Brasília, desceu em segurança no deserto de Gobi, na Mongólia, uma espaçonave transportando três heróis chineses: Nie Haisheng, Liu Boming e Tang Hongbo. O pouso suave marcou o fim da missão Shenzhou 12, a primeira a levar uma tripulação à nova estação espacial Tiangong-3 da China.

Enviados ao espaço em 17 de junho, os três taikonautas (como os chineses chamam os astronautas) lá permaneceram por um período de exatos 90 dias, considerado um recorde de permanência fora da Terra de um único voo por uma tripulação chinesa. Durante esse tempo, os três realizaram atividades extraveiculares duas vezes.

Ao entrarem no núcleo Tianhe ("Harmonia Celestial") da futura estação espacial, sete horas após o lançamento, o comandante Nie Haisheng, seguido por Liu Boming e o estreante Tang Hongbo se tornaram os primeiros chineses a entrar em uma estação espacial. Embora a Estação Espacial Internacional (ISS) já exista há mais de 20 anos, uma lei dos EUA proíbe que astronautas da NASA possam trabalhar junto de seus colegas chineses.

A missão da Shenzhou 12

Fonte: China News Network/Youtube/Wikimedia Commons/DivulgaçãoFonte: China News Network/Youtube/Wikimedia Commons/DivulgaçãoFonte:  China News Network/Youtube/Wikimedia Commons 

A estação espacial da China orbita hoje a Terra a uma altitude de cerca de 400 quilômetros e ainda está sendo montada em blocos. Pelo menos oito missões serão necessárias, três delas tripuladas, para "montar o quebra-cabeças" da nova instalação. Em outubro próximo, a missão Shenzhou 13 deverá ser lançada para entregar necessidades vitais e equipamentos experimentais para o núcleo Tianhe, que continuará sendo a cabine da próxima tripulação.

Quando chegaram ao núcleo Tianhe em junho, os taikonautas que agora retornaram tiraram muitas fotos da Terra, realizaram experimentos científicos, verificações de tecnologia, além das duas caminhadas espaciais projetadas para colocar o módulo de 16,6 metros em pleno funcionamento e prepará-lo para as futuras visitas.

A Shenzhou 12 se separou de Tianhe na quarta-feira (15) às 21:56 (horário de Brasília). A emissora estatal chinesa CCTV passou a exibir imagens dos taikonautas levando suas bagagens para a espaçonave e, antes da separação definitiva, eles fizeram download dos dados obtidos com os experimentos e realizaram um último teste de encontro com a Tianhe, concluído já na quinta-feira.

O retorno à Terra

Com os três taikonautas a bordo, a Shenzhou 12 ainda deu mais um último "passeio" orbital antes de a cápsula se separar de forma suave do módulo propulsor, segundo a China Manned Space Agency (CMSA). Logo depois, o módulo de retorno lançou o seu paraquedas vermelho e branco até pousar no deserto Gobi.

O esquadrão de buscas e resgate chegou a Dongfeng apenas cinco minutos após o pouso. Passaram-se ainda 30 minutos até que os taikonautas começassem o seu showzinho particular para a emissora CCTV. O primeiro a sair, Tang Hongbo estava deslumbrado: "É muito bom estar de volta!", disse ele, "Pai, mãe, estou de volta! Com boa saúde e bom humor!". Alguns minutos depois, a CMSA confirmou o autodiagnóstico do feliz astronauta.

Liu Boming saiu da cápsula lembrando que aquele era também o dia de seu aniversário, enquanto o comandante Nie Haisheng aproveitou para recitar um provérbio chinês: "O ouro verdadeiro não teme o fogo", comemorou.