Blue Origin faz novo teste do foguete New Shepard; confira vídeo

1 min de leitura
Imagem de: Blue Origin faz novo teste do foguete New Shepard; confira vídeo
Imagem: Blue Origin/Reprodução
Avatar do autor

A Blue Origin realizou nesta quarta-feira (14) mais um teste do foguete New Shepard, que foi lançado e conseguiu pousar na base de Van Horn, no Texas (Estados Unidos), com sucesso. Desta vez, a empresa de Jeff Bezos também testou a cápsula de transporte de astronautas, acoplada no topo do lançador reutilizável.

Como nos outros 14 lançamentos anteriores, a missão NS-15 também não tinha tripulantes a bordo. Mas o exercício de preparação para a decolagem, realizado pela companhia americana com astronautas substitutos, pode ser um indício de que o primeiro voo com passageiros esteja próximo de acontecer.

Depois que os “falsos astronautas” desembarcaram, os motores foram acionados e o New Shepard decolou (veja no vídeo abaixo), chegando a mais de 100 km acima da superfície terrestre. Nesta altura, a cápsula foi liberada, enquanto o foguete iniciou a viagem de volta ao solo, pousando de maneira segura em uma área bem perto da plataforma de lançamento, ao acionar o motor BE-3.

Já a cápsula, que carregava um boneco conhecido como “Mannequin Skywalker”, flutuou na borda do espaço durante cerca de três minutos, quando iniciou o seu retorno à Terra. O pouso na base texana ocorreu de maneira tranquila, segundo a Blue Origin, após o acionamento de três paraquedas.

Atualizações na cápsula

Para este teste mais recente, a empresa aeroespacial adicionou algumas atualizações em relação ao voo anterior, ocorrido em janeiro. Na missão NS-14, pequenas telas e botões push-to-talk para cada um dos seis assentos da cápsula eram as novidades.

Já na NS-15, o dispositivo destinado ao transporte de passageiros ganhou microfones e alto-falantes para os testes dos sistemas de comunicação com os astronautas e de alerta de segurança, além de controles para regular a temperatura e a acústica da nave.

Assim como o treinamento pré-lançamento, estas mudanças indicam avanços em relação ao aguardado voo tripulado da Blue Origin, que pode acontecer já na missão NS-16, segundo a CNBC.