Paraguai lança seu 1º satélite em órbita terrestre, a partir da ISS

1 min de leitura
Imagem de: Paraguai lança seu 1º satélite em órbita terrestre, a partir da ISS
Imagem: NASA
Avatar do autor

O seleto clube dos países que viajaram para o espaço tem um novo integrante, e é da América do Sul: no dia 14 de março, o primeiro satélite do Paraguai entrou em órbita ao redor da Terra, implantado a partir da Estação Espacial Internacional (ISS), em parceria com uma universidade japonesa.

Lançado no dia 20 de fevereiro a bordo de um foguete Antares, na Ilha Wallops nos EUA, o satélite GuaraniSat 1 foi construído por Adolfo Jara e Aníbraal Mendoza, dois estudantes de engenharia paraguaios, através de um programa internacional que teve também a participação da agência espacial japonesa (JAXA).

Jara e Mendoza fazem, respectivamente, doutorado e mestrado em engenharia aeroespacial no Kyutech, o Instituto de Tecnologia de Kyushu, no Japão. A instituição funciona como facilitadora do projeto Joint Global Multi-Nation Birds Satellite, o BIRDS, que, com apoio do governo japonês e da JAXA, incentiva o trabalho de engenheiros de nações não-espaciais, conforme comunicado divulgado pela NASA.

O que é o GuaraniSat 1?

Fonte: Agência Espacial Paraguaia-AEP/DivulgaçãoFonte: Agência Espacial Paraguaia-AEP/DivulgaçãoFonte:  Agência Espacial Paraguaia-AEP 

O GuaraniSat 1, cujo nome deriva da língua indígena oficial falada no Paraguai (e em partes do Brasil e Bolívia), é uma pequena espaçonave do tipo conhecido como cubosat que, segundo a NASA, orbitará o planeta por até dois anos. O satélite é equipado com uma câmera para obter imagens do espaço, posteriormente classificadas para downloads econômicos por um mecanismo de IA.

Jara e Mendoza também instalaram no dispositivo orbital, sensores capazes de mapear a ocorrência do percevejo triatomíneo, conhecido popularmente por “barbeiro”, o inseto causador da doença de Chagas que infecta cerca de 8 milhões de pessoas no México, América Central e América do Sul. É uma infecção subdiagnosticada e só tratada eficazmente na sua fase aguda.

De acordo com a NASA, os dados obtidos por esses sensores serão transmitidos em tempo real através de um hub central para o satélite, e baixados para uma estação terrestre para a elaboração de um mapa de risco de doenças, que poderá ser utilizado pelas autoridades sanitárias de diversos países para estabelecimento de ações de prevenção.

O GuaraniSat 1 foi para espaço através do J-SSOD, um implantador de nanossatélites orbitais japonês a bordo da ISS. O principal administrador do projeto “Paraguai ao Espaço” da Agência Espacial Paraguaia (AEP), Alejandro Román, afirmou que “o primeiro satélite do nosso país marca um momento histórico”.

Fontes