Assimetria entre os dois lados da Lua é explicada em novo estudo

1 min de leitura
Imagem de: Assimetria entre os dois lados da Lua é explicada em novo estudo
Imagem: Pixabay
Avatar do autor

Em um novo artigo publicado na revista Nature Geoscience, um grupo de pesquisadores afirma ter descoberto os motivos de o lado oculto da Lua ser tão diferente da parte visível a partir da Terra — assunto que já rendeu inúmeras teorias nas últimas décadas.

No estudo, que teve a participação de pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Tóquio (Japão), da NASA e das universidades da Flórida, de Towson e do Novo México — todas nos Estados Unidos —, os autores investigaram a história geológica do satélite natural e encontraram uma nova explicação para esse mistério.

Após uma série de experimentos, análises de observações existentes da superfície lunar e modelagem computacional, eles chegaram à conclusão de que as diferenças nas concentrações de elementos radioativos na Lua poderiam explicar a assimetria entre os dois lados do corpo celeste.

O lado oculto da Lua é bem diferente da área visível.O lado oculto da Lua é bem diferente da área visível.Fonte:  NASA/Divulgação 

De acordo com os cientistas, elementos instáveis presentes em maior quantidade nas partes do solo lunar voltadas para a Terra (como tório, potássio e urânio) geram calor por meio de um processo de decomposição radioativa, derretendo as rochas nos locais onde eles ficam. Como resultado disso, o surgimento das crateras, presentes em maior quantidade na parte oculta, é facilitado.

Elementos KREEP

Além do aquecimento causado pela decomposição radioativa dos elementos instáveis, a assimetria entre o lado escuro da Lua e a parte visível também pode ser explicada por uma propriedade das substâncias KREEP, que são o potássio, os metais das terras raras e o fósforo presentes no lado visível.

Conforme apontam os autores do estudo, os locais da superfície lunar ricos dessas substâncias têm pontos de fusão mais baixos, facilitando a transformação das rochas em magma.

Vale lembrar que a face visível tem mais manchas (planícies basálticas) e menos crateras, enquanto a face oculta apresenta uma menor quantidade de manchas escuras e uma crosta mais grossa, com muito mais crateras.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Assimetria entre os dois lados da Lua é explicada em novo estudo