Você provavelmente ainda se lembra que uma estação de pesquisa espacial chinesa caiu de órbita no começo deste ano e deixou todo mundo aflito. A Tiangong-1 estava sem controle havia mais de 2 anos, e a agência espacial chinesa não tinha a menor ideia de quando ou como o aparelho se chocaria com a superfície terrestre. Agora, a Tiangong-2 também será “retirada de órbita”.

Esse é um termo bonito para algo não tão bonito assim. O equipamento será derrubado, mas, dessa vez, os chineses possuem total controle sobre ele e devem conseguir fazê-lo cair em alguma parte remota do Oceano Pacífico sem maiores dificuldades.

A Tiangong-2 completou sua missão durante seus 2 anos de órbita, e todas as cargas ainda estão em bom estado

Lin Xiqiang, um dos diretores da agência especial chinesa, explicou que já está na hora de trazer o satélite de volta, uma vez que ele cumpriu sua missão no espaço. “A Tiangong-2 completou sua missão durante seus 2 anos de órbita, e todas as cargas ainda estão em bom estado. Ela vai ficar em órbita até julho de 2019, quando faremos a retirada controlada”, disse Xiqiang.

Segundo os cientistas chineses, o satélite realizou todas as experiências que tinha capacidade de fazer e já não é mais útil. Ele completou um total de 14 “projetos”, mas não foram revelados dados específicos sobre esses estudos. Portanto, não sabemos qual era exatamente a finalidade do equipamento em órbita.

gbtimes

A Tiangong-1 caiu na Terra em abril de 2018, mas já estava em decadência desde os últimos meses de 2017, quando foi dada a notícia de que o equipamento poderia cair em praticamente qualquer parte do planeta. Como ela era bastante grande, não se desintegraria na reentrada; felizmente, todos os destroços caíram no mar.