Um porta-aviões norte-americano dado como desaparecido durante a Segunda Guerra Mundial acaba de ser reencontrado a 800 km da costa leste da Austrália, graças aos esforços de um time de exploradores liderado por Paul Allen, co-fundador da Microsoft.

Lançado em 1925, afundado pelos militares japoneses em 8 de maio de 1942 e reencontrado apenas no último domingo (5), o USS Lexington (carinhosamente apelidado de “Lady Lex”) tem grande importância histórica para os EUA. Isso porque, embora tivesse sido originalmente projetado para ser um cruzador de batalha, a embarcação acabou por se tornar um dos primeiros porta-aviões da armada do país, sendo capaz de carregar até 78 aeronaves.

O veículo, infelizmente, teve um final trágico durante a Batalha do Mar de Coral. Nela, o USS Lexington, junto do USS Yorktown, enfrentaram três porta-aviões japoneses – marcando a primeira batalha entre embarcações dessa categoria. Mas ao menos 2.770 membros da tripulação saíram vivos, graças ao pedido de ajuda atendido pela USS Phelps quando Lady Lex começou a afundar pelos dois torpedos e três bombas que a atingiram.

Vale notar, por fim, que essa não é nem de longe a primeira vez que Paul Allen alcança uma façanha dessas. Em agosto de 2017, por exemplo, sua equipe foi capaz de encontrar a embarcação de guerra norte-americana USS Indianapolis, também perdida durante a Segunda Guerra, bem como os veículos USS Ward e USS Astoria, além do cruzador de batalha japones Musashi e o destroier italiano Artiglieri.