O planeta Saturno é cheio de mistérios que vão muito além de seus belos anéis – suas diversas luas possuem uma enorme diversidade de ambientes e elementos que intrigam os astrônomos de todo o planeta Terra. Após a bem-sucedida missão da Cassini ter cumprido seu papel em estudar a fundo o segundo maior planeta do nosso Sistema Solar, já existem empresas privadas que pretendem ir atrás de mais informações sobre Saturno.

Estamos falando da Breakthrough Prize Foundation, uma organização fundada pelo bilionário russo Yuri Milner. Com planos ainda em fase inicial, a ideia da instituição é chegar até Encélado, um dos satélites naturais de Saturno que mais chama atenção dos estudiosos no assunto.

encelado saturno

Vida fora da Terra?

Isso acontece porque Encélado possui um oceano de água em estado sólido debaixo de sua superfície e essa presença da substância aumenta muito as chances da existência de vida extraterrestre. A descoberta foi feita pela própria Cassini enquanto ainda orbitava Saturno e suas luas pela observação de plumas de ventilação que emanam na superfície do satélite.

Será que podemos projetar uma missão de baixo custo com financiamento privado para Encélado?

“Nós formamos um pequeno workshop em torno dessa ideia", disse Yuri Milner. "Será que podemos projetar uma missão de baixo custo com financiamento privado para Encélado, que pode ser lançada relativamente cedo e que pode analisar mais profundamente essas plumas para tentar ver o que está acontecendo?”

Milner esteve presente em uma conferência realizada pela revista The Economist no último dia 9 de novembro, na cidade de Seattle, e foi lá que revelou as intenções de chegar até Saturno por meio de sua organização. Segundo ele, sua missão poderia servir como uma precursora para uma futura campanha mais avançada da NASA, capaz de conseguir mais e melhores informações sobre o planeta e os satélites.

yuri milnerYuri Milner

Planos iniciais

Como essa missão vai ser, ainda não está bem claro. Pode ser apenas um sobrevoo nos satélites de Saturno ou mesmo entrar na órbita do planeta com uma nave mais robusta. Seja como for, a brincadeira parece que ser cara.

Pete Worden, ex-diretor do Centro de Pesquisa Ames da NASA, que agora é presidente da Breakthrough Prize Foundation, mencionou o esforço que vem sendo realizado pela organização: “Nós já fizemos um estudo inicial e nos encontramos com o nosso patrocinador, o Sr. Milner, em agosto, e dissemos que provavelmente poderíamos ter sucesso usando meios mais convencionais por algumas centenas de milhões de dólares”.

Cupons de desconto TecMundo: