O iPhone 6 e o Galaxy S6 são dois dispositivos recentes que se destacam por vários aspectos tecnológicos, mas também por serem finos. Na verdade, extremamente finos. O aparelho da Apple tem 0,69 cm de espessura, comparado a 0,76 cm do iPhone 5S. O Galaxy S6 foi lançado com 0,68 cm de espessura, sendo que o Galaxy S5 chega a 0,81 cm na mesma medida.

Se a indústria atualmente preza por celulares maiores em comprimento e altura, com 5" virando um padrão que pouco varia para mais ou para menos, a tendência da espessura é sempre diminuir. Não são poucos os aparelhos — vindos especialmente da China — que já ultrapassaram a marca dos aparelhos de Apple e Samsung, apresentando números impressionantes e a sensação de que você vai quebrar o dispositivo a qualquer momento, tamanha a aparência de fragilidade.

O Phone Arena fez uma lista com os atuais dispositivos mais finos do mercado e reproduzimos os mais bem colocados abaixo. Qual será a "dieta" desses eletrônicos para ficarem tão finos e carregarem tantos componentes?

Samsung Galaxy A5 (0,67 cm)

O Galaxy A5 foi lançado mais ou menos junto com o Galaxy A3 e o Galaxy A7, integrando a linha "premium" da Samsung. O modelo é considerado intermediário, apesar de não ter o preço de um.

O processador Snapdragon 410 quad-core de 1,2 GHz, os 2 GB de RAM e 16 GB de armazenamento (expansível com microSD) unem-se a um aparelho leve e que, no geral, não desaponta em desempenho. A bateria, porém, pode ser gasta rapidamente — especialmente se você utilizar os dois chips.

O modelo já foi analisado pelo TecMundo. No Brasil, ele pode ser encontrado a partir de R$ 1.068,56.

Galaxy Alpha (0,67 cm)

Oficializado em agosto de 2014, o Galaxy Alpha foi um dos "testes" de mercado da Samsung com segmentos diferenciados de produtos. Esse modelo tem laterais metálicas e é mais resistente que a família Galaxy S, por exemplo, além de contar com a baixa espessura e um peso de somente 115 gramas.

As especificações técnicas não são muito chamativas, já que a ideia é justamente atrair pelo design e para um uso não muito hardcore. O dispositivo possui tela AMOLED de 4,7" e 720 x 1280 pixels, 2 GB de RAM e bateria de 1.860 mAh. A espessura é a mesma do modelo Galaxy A5.

No Brasil, o Galaxy Alpha pode ser encontrado por até R$ 1.298.

Huawei Ascend P7 (0,65 cm)

Lançado em maio de 2014 na China, o smartphone da Huawei até já foi analisado aqui no TecMundo. O Ascend P7 tem um design que "pega emprestado" elementos de vários outros modelos, especialmente os da família Xperia e do iPhone.

O resultado é um aparelho interessante em visual que, apesar da tentativa de ser top de linha, derrapa no desempenho. As especificações incluem um chip quad-core de 1,8 GHz, 2 GB de RAM, 16 GB de armazenamento e câmera traseira de 13 MP.

O modelo é vendido no Brasil e pode ser encontrado desbloqueado em lojas como a Cissa Magazine por R$ 1.029,99.

Huawei Ascend P8 (0,64 cm)

O modelo mais recente da lista é o sucessor do anterior. O Ascend P8 foi apresentado em abril de 2015 e tem especificações técnicas bem chamativas. O processador é o novo Kirin 930 octa-core de 1,5 GHz, há 3 GB de RAM e até 64 GB de armazenamento. O sensor fotográfico vem sendo bastante enaltecido pela Huawei por conta do funcionamento otimizado em ambientes escuros.

Utilizada pela Huawei neste modelo, a tecnologia de fabricação Nano Molding Technology corta certas etapas do processo e economiza em custos, além de combinar resistência e comodidade no aparelho. O Ascend P8 deve ser lançado ainda em 2015 (não se sabe se também no mercado brasileiro) e o custo deve chegar a R$ 2 mil na versão mais cara do smartphone.

Samsung Galaxy A7 (0,63 cm)

Fechando a família de smartphones da Samsung, o Galaxy A7 não é o mais poderoso da companhia (ele perde para o próprio S6 em potência), mas traz especificações técnicas interessantes e um visual pensado no público que deseja um aparelho mais elegante, na categoria que é chamada de "premium".

A tela de 5,5" é acompanhada de um processador Exynos 5 Octa 5430 (quatro cores de 1,8 GHz e quatro a 1,3 GHz), 2 GB de memória RAM e 16 GB de armazenamento. As câmeras de 13 MP e 5 MP (traseira e frontal, respectivamente) estão presentes em quase todos os modelos desta lista.

O Galaxy A7 já foi analisado pelo TecMundo e o design leve e fino foi elogiado. O aparelho pode ser adquirido em lojas como a Cissa Magazine por R$ 1.498.

BLU Vivo IV / Gionee Elife S5.5 (0,55 cm)

Apresentado em fevereiro de 2014 sob o nome de Gionee Elife S5.5, esse smartphone foi vendido nos Estados Unidos e em outros mercados internacionais sob a marca BLU e com o nome de Vivo IV (mais comercial, talvez?). Ele é quase inteiramente feito de alumínio e vidro, tem uma tela Full HD de 5" e um processador octa-core MediaTek MT6592 de 1,7 GHz.

No Brasil, ele é encontrado por cerca de R$ 1.480, mas não é vendido em lojas oficiais e credenciadas. Na loja do site oficial da BLU, ele sai por R$ 594.

BLU Vivo Air / Gionee Elife S5.1 (0,515 cm)

O reinado do BLU Vivo IV durou pouco. O BLU Vivo Air também é uma versão internacional, desta vez do Gionee Elife S5.1. Esse aparelho até saiu no TecMundo por ter entrado para o Livro dos Recordes como o smartphone mais fino do mundo.

Ele tem a estrutura feita inteiramente a partir de um bloco de alumínio reforçado por painéis Gorilla Glass 3 (tanto na tela quanto na carcaça). O nome "Air" é justificado pelo peso do dispositivo, menos de 100 g. As especificações técnicas, entretanto, foram prejudicadas em busca de menor peso e espessura: o processador manteve-se o mesmo MediaTek MT6592 de 1,7 GHz, porém ele passou a ter somente 1 GB de RAM e câmera traseira de 8 MP.

O BLU Vivo Air pode ser comprado pela Amazon internacional por R$ 567. Entretanto, não há opção de envio para o Brasil.

Oppo R5 (0,485 cm)

A coroa de celular mais fino do mundo se manteve com esse modelo por algum tempo (alguns meses, na verdade). O celular Oppo R5 tem borda de metal e especificações bem parecidas com as do primeiro colocado: Snapdragon 615 como processador, 2 GB de RAM e câmera traseira de 13 MP (5 MP na frontal). A tela é um pouco maior do que o rival: mede 5,2", mas é igualmente Full HD.

Ele não é vendido no Brasil e nos Estados Unidos, mas pode ser encontrado no site oficial da marca pelo equivalente a R$ 1,6 mil (sem contar taxas de importação).

Vivo X5 Max (0,475 cm)

A medalha de ouro é merecida. O Vivo X5 Max é o lançamento da fabricante chinesa que nada tem a ver com a operadora brasileira. Porém, nem pense que o prêmio faz com que o dispositivo seja inferior: ele tem tela Full HD de 5,5", chip Snapdragon 615 e câmera de 13 MP na traseira — ou seja, especificações que sao consideradas alta até hoje.

Como ficar tão fino? De acordo com a marca, não é regime ou exercícios físicos: o Vivo X5 Max tem 90% dos componentes do circuito impresso posicionados em um só lado, ocupando o menor espaço possível. Já a carcaça é de uma liga metálica que consegue ser igualmente resistente e bonita.

Só que isso veio com um custo: problemas de superaquecimento e a bateria reduzida levaram à reclamação dos clientes e ao lançamento de versões atualizadas que tiraram o X5 Max do catálogo, como o X5 Max+, de 5,1 mm. O está fora de catálogo, mas custava cerca de R$ 1,18 mil (ainda sem taxas).

...

Não, a espessura de um aparelho pode não ser um fator crucial na compra de um smartphone — e a presença ou não de dispositivos na lista acima não significa potência ou importância. Porém, é curioso perceber essa tendência na indústria e imaginar até onde pode chegar essa busca pela "magreza" nos eletrônicos.

Cupons de desconto TecMundo: