Fontes anônimas da CRN afiram que a Apple teria assinado um contrato com a Google no fim de 2015 para hospedar parte do seu serviço de nuvem iCloud na plataforma Google Cloud Services, que basicamente oferece poder de processamento e armazenamento para serviços que guardam grandes volumes de dados.

Esse contrato representaria um gasto entre US$ 400 e 600 milhões, mas não se sabe se o valor representaria o montante pago em um ano à Google ou se é referente a uma quantidade de espaço específica para armazenamento.

Contudo, a Apple não depende apenas da Google para fornecer espaço de armazenamento em nuvem para os usuários de seus aparelhos. A maior parceira da Maçã nessa empreitada seria a Amazon, com seus Web Services recebendo cerca de US$ 1 bilhão por conta de um contrato, novamente, sem especificação de tempo ou espaço contratado. A Apple já teria afirmado em outras oportunidades que mantém parte do iCloud funcionando a partir do Microsoft Azure também.

Em busca de economizar com esses contratos multimilionários com suas rivais, a Apple estaria buscando construir sua própria estrutura de processamento e armazenamento em nuvem, planejando a criação de datacenters nos EUA, na Irlanda e na Dinamarca. Ainda assim, não parece haver prazos específicos para nenhuma dessas estruturas começarem a funcionar.

A Apple está ditando as tendências para o mundo tecnológico? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: