Talvez muitos não saibam, mas os usuários do WhatsApp pagavam uma taxa de US$ 0,99 para usar o aplicativo após o primeiro ano de uso. Porém, tal medida caiu por terra recentemente, mudando um pouco o modelo de negócios da empresa e até mesmo abrindo as portas para o crescimento em países como o Brasil e a Índia. 

Falando ao site Wired, Jan Koum, diretor-executivo do WhatsApp, revelou que a taxa cobrada pela empresa representava um obstáculo para o crescimento do aplicativo, tendo em vista que em terras tupiniquins e em outros lugares do globo isso era tido como uma dificuldade por conta de alguns fatores. 

“Para pessoas no Brasil ou na Índia, é muito difícil pagar. Eles não têm necessariamente cartão de crédito ou infraestrutura para fazer os pagamentos”, explicou Koum.

Jan Koum

Mudança nos negócios 

A entrevista também serviu para que o executivo desse uma ideia de qual será o caminho que a empresa seguirá com o aplicativo. Segundo Koum, a meta da companhia é mudar a forma como as mensagens comerciais são propagadas pelo software. Há uma chance de que seja cobrada uma taxa dos grupos que quiserem recorrer ao app dessa maneira, mas sem detalhes de como isso vai acontecer. 

Para os que já estão se perguntando sobre valores, o WhatsApp não divulga o quanto faturou com o aplicativo, mas o site Business Insider cita documentos que colocam esse valor na casa de US$ 15 milhões na primeira metade de 2014. Entretanto, a empresa perdeu aproximadamente US$ 250 milhões no mesmo período.

De que forma o WhatsApp vai lucrar futuramente? Comente no Fórum do TecMundo