O advogado Eric Schneiderman, do escritório-geral de Nova Iorque, havia entrado com um processo contra a Uber pela existência de uma ferramenta batizada de "God View" — ou "God Mode", que seria traduzido literalmente como "Modo Deus". Nesta semana, advogado e companhia entraram em acordo, e a Uber vai desembolsar US$ 20 mil (R$ 80 mil) em multa.

O God View seria como o God Mode do Windows. É uma ferramenta que permite aos administradores — no caso, executivos da Uber — acompanhar a localização em tempo real de motoristas e clientes que utilizam o aplicativo da empresa.

Todo o problema veio à tona quando, em 2014, um executivo da Uber estava monitorando os registros de uso e a localização de uma repórter do site norte-americano BuzzFeed News. Obviamente, isso estava sendo feito sem o conhecimento da jornalista.

A Uber respondeu a esse problema investigando e aplicando sanções disciplinares ao executivo. Contudo, advogados de Nova Iorque não deixaram a ação terminar neste ponto, e o resultado é a multa de US$ 20 mil que será paga pela companhia — digamos que a quantia é um pequeno belisco perto do valor de mercado.

De acordo com os advogados, a maior vitória do acordo não é a multa, mas sim a "obrigação" de a Uber revisar as práticas de privacidade. Ou seja, os dados de motoristas e clientes vão ser encriptados e protegidos por senha. O "God View", antes de fácil acesso aos funcionários de alto escalão do aplicativo, agora vai ser restrito a apenas alguns — e ser usado só com "propósitos comerciais legítimos".

Já a resposta do executivo por rastrear os passos da repórter foi a seguinte: "Ela estava 30 minutos atrasada para um encontro". 

O que você acha da existência desse "God Mode" da Uber? Comente no Fórum do TecMundo