A NVIDIA continua investindo no ramo automotivo. Durante o keynote de abertura da CES 2016, o CEO da companhia, Jen-Hsun Huang mostrou como a empresa vem evoluindo no ramo e apresentou a nova versão do hardware dedicado aos carros. A plataforma DRIVE PX 2 chega com um poder de processamento excepcional para tirar do papel de vez a ideia dos veículos autônomos.

A nova versão do hardware é capaz de processar até 24 trilhões de operações de Deep Learning (área da computação que permite máquinas possam “aprender” comportamentos autônomos a partir de treinamento) por segundo. Para se ter uma ideia, isso é o equivalente a 150 MacBook Pros. O módulo possui 4 processadores: 2 Tegra de última geração e duas GPUs que já utilizam a nova tecnologia Pascal, da NVIDIA (arquitetura que chegará para substituir o Maxwell). Todo esse poder equivale a 10 vezes mais que a geração anterior, segundo a empresa.

A tarefa de um veículo autônomo não é facil: ele precisa aprender a lidar com o mundo real, ou seja, tudo o que acontece com um carro no dia a dia enquanto ele anda pelas ruas. Isso inclui literalmente reconhecer e entender tudo o que pode acontecer no meio do caminho, como um cão correndo na frente do carro, um pneu de caminhão que se solta na sua frente, e por aí vai. Isso também significa que quanto mais você “passeia” pela cidade com o carro, mais o supercomputador interno pode aprender.

Todas essas informações farão parte de uma super rede de aprendizado que ajudará os veículos a "aprenderem" com mais rapidez, com base em experiências vistas por outras máquinas.

Controlando o poder computacional

E é claro que tanto poder assim precisa de controle e para isso a NVIDIA fornece o DriveWorks, um pacote de softwares, bibliotecas e ferramentas feitas para que os desenvolvedores possam integrar o sistema da empresa nos veículos.

É assim que o seu carro vai enxergar as coisas na rua. Cada cor indica uma classe de objeto reconhecido pelo veículo.

Desde que foi lançado, ainda ano passado, a plataforma da NVIDIA já conquistou uma série de montadoras: BMW, Audi, Daimler, Ford e mais. Além disso, a Volvo, empresa conhecida por prezar pela segurança dos motoristas, já anunciou que, em breve, será uma das primeiras a lançar veículos inteligentes movimentados pelo supercomputador da NVIDIA.

A apresentação terminou com um detalhe interessante: diversos estudos e demonstrações da tecnologia foram feitos com a ajuda de uma “simples” Titan X, a placa de vídeo doméstica mais potente da empresa atualmente. Com isso, Jen-Hsun Huang quis demonstrar que a NVIDIA não está simplesmente criando um novo produto. Ela está criando todo um ecossistema que fala a mesma língua. É claro que você não poderá tirar a sua placa de vídeo do PC e espetar no módulo do seu carro. Mas saiba que os chips que movimentam os dois utilizam a mesma arquitetura e linguagem de processamento.