Conheça o Turbo Boost, que dá uma "turbinada" nos processadores Intel

A nova microarquitetura dos processadores Intel conta com este recurso que aumenta a capacidade conforme a necessidade do sistema operacional.
  • Visualizações91.566 visualizações
Por Danilo Amoroso em 7 de Outubro de 2009

Conheça o Turbo Boost, uma tecnologia da Intel que aumenta a velocidade de processadores com base na demanda de operação, ou seja, o processador é “turbinado” de maneira dinâmica, sempre que necessário e na medida certa para as tarefas em execução. Aprenda mais sobre esta tecnologia neste artigo.

Em novembro de 2008, a Intel apresentou a nova microarquitetura de seus processadores, batizada de Nehalem. Uma das grandes novidades em termos de desempenho desses processadores é a tecnologia Turbo Boost, que aumenta a frequência do núcleo para melhorar o desempenho do processador quando possível e necessário.

A grande inovação desta tecnologia é o aumento da performance sem exageros, exatamente quando o usuário precisa de mais desempenho e sem extrapolar os limites da capacidade do processador. Para determinar essa necessidade, o Turbo Boost considera quatro parâmetros: número de núcleos ativos, consumos estimados de corrente e energia e temperatura do processador. Qualquer um destes parâmetros pode fazer com que o turbo entre em ação.

Se o processador detecta que está abaixo de sua capacidade, temperatura ou limites, o Turbo Boost aumenta a frequência do clock para melhorar o desempenho dos núcleos ativos. A frequência do processador aumentará 133 MHz em intervalos curtos e regulares, caindo na mesma medida quando ultrapassar a capacidade máxima de processamento. A melhora é ainda mais significativa para aplicativos que utilizam apenas um thread.

O Turbo Boost funciona mesmo que todos os núcleos estejam ativos. O critério que dispara a tecnologia é a constatação de que o processador opera abaixo dos seus limites em determinada tarefa. Ou seja, é o sistema operacional que solicita mais desempenho do processador.

Uma explicação curta e grossa: se um aplicativo não exige que todos os núcleos trabalhem até os limites da capacidade do processador, o Turbo Boost pode aumentar o clock de cada núcleo individualmente para melhorar o desempenho do chip.

Desta maneira, os núcleos do processador trabalham mais rápido do que a frequência básica de operação quando exigidos. A frequência máxima que o Turbo Boost atinge depende do número de núcleos ativos e o tempo em que o processador fica "turbinado" depende da carga do trabalho e do sistema operacional.

Veja alguns exemplos de produtos da Intel que contam com esta tecnologia:

  • Processador Intel Core i7 Extreme Edition (para desktops e laptops)
  • Processador Intel Core i7 (para desktops e laptops)
  • Processador Intel Core i5 (somente desktops)


Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria?
Colabore com o autor clicando aqui!