Até alguns anos atrás, não encontrávamos muitos locais públicos com WiFi gratuita. Hoje, por outro lado, as redes sem fio públicas estão presentes em lanchonetes, cafeterias, shoppings, praças, escolas e diversos locais. Conectamos sem dificuldades, navegamos, usamos as redes sociais e aproveitamos as conexões para checar emails.

Dificilmente refletimos sobre os perigos que existem ao se conectar em uma rede, afinal, o que pode haver de tão perigoso em logar em um site, visto que as senhas não são armazenadas na rede? Bom, será mesmo que é tão seguro? Neste artigo, vamos falar dos riscos que existem nas redes WiFi públicas. Se você costuma usá-las, vale conferir nossas dicas.

Falta segurança!

Quem conhece um pouco sobre redes sem fio sabe que existem alguns tipos de segurança que impedem a conexão de intrusos à rede. Usando protocolos de segurança (WEP, WPA e WPA2), os roteadores e pontos de acesso garantem que apenas máquinas autenticadas façam parte da rede.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Em configurações mais avançadas — e até mais seguras —, somente as máquinas autorizadas através do endereço MAC (um código único que identifica cada dispositivo) na configuração do roteador têm permissão para se conectar com a internet e fazer parte do grupo de trabalho.

Na maioria das redes públicas, não existe nenhuma dessas características para garantir a segurança dos utilizadores. Algumas até usam um login realizado através do navegador e outras até contam com senhas WPA2, mas, se você pensar bem, todo e qualquer usuário que tenha a senha correta ou faça o login fará parte da rede.

Todo mundo é amigo na rede

Normalmente, em uma rede doméstica, seu computador fica protegido por um firewall e uma senha da rede. Tais recursos impedem que intrusos tenham acesso facilitado ao tráfego de dados da sua máquina. No caso de uma WiFi pública, você é apenas um das dezenas (ou centenas) de máquinas conectadas.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Uma pessoa má intencionada que entenda um pouco de redes não deve ter dificuldade em descobrir seu endereço IP — basta fazer algumas tentativas até encontrar um computador vulnerável — e  interceptar as informações da sua máquina. Muitas vezes, o ataque não passa de uma exploração nas pastas do seu PC, mas ele pode ser uma invasão bem pior.

Isso ocorre porque mesmo que o roteador que gerencia as conexões tenha um firewall (o que ajuda a evitar problemas de ataques externos), ele não impede a conexão direta entre os dispositivos participantes da rede. Basicamente, para o roteador, todos os aparelhos conectados são amigos e ele não realiza nenhuma ação caso um PC tente contato com outro.

Nem mesmo os sites são totalmente seguros

Os sites mais modernos usam versões mais recentes dos protocolos de segurança, porém nem mesmo o SSL e o HTTPS são impossíveis de quebrar. Em teoria, uma conexão estabelecida com diretamente com uma rede bancária ou com um site de compras é devidamente protegida, mas você não faz ideia do que ocorre com seus dados depois que eles são inseridos no teclado.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Normalmente, de acordo com o site Pocket Now, as senhas são criptografadas e empacotadas para serem compreendidas pelo site-destino. Todavia, existem firewalls e sistemas no caminho que redirecionam esses dados de um lado para o outro. Mesmo um pacote devidamente codificado pode ser aberto se cair nas mãos de um especialista.

É claro, acessar um banco pode ser perigoso até mesmo quando você está em uma rede confiável. Muitas vezes, os riscos não consistem em problemas ou brechas na rede local, mas em ataques diretos à rede bancária e aos provedores que estão no caminho entre o cliente e o site em questão.

Você pode estar conectado à rede errada

Uma coisa que nem passa pela cabeça de muita gente é a existência de redes falsas. Normalmente, as pessoas presumem que o estabelecimento usa o próprio nome como SSID da rede. Todavia, há lugares que não seguem esse padrão — e existem alguns ambientes que não oferecem WiFi gratuito ou nem mesmo pago.

(Fonte da imagem: Reprodução/PC World)

Assim, pode acontecer de algum vizinho próximo criar uma rede com o mesmo nome do local em que você está visitando. Com isso, é possível que você se conecte a uma rede sem fio que não seja oferecida pelo estabelecimento, existindo chances de você ter se conectado em um WiFi falso que serve apenas para atrair pessoas que vão ser vítimas de ataques.

Em um caso desses é preciso tomar muito cuidado, pois a pessoa que criou a rede pode configurar o firewall para desviar o tráfego de dados. Essa artimanha pode facilitar a obtenção de senhas e dados da sua navegação. Depois de obter suas informações, o sujeito que ofereceu o WiFi falso pode guardar os dados para usar posteriormente.

Acesse apenas o básico

Analisando todas essas possibilidades, chegamos à brilhante conclusão de que é arriscado se conectar a redes públicas. Considerando isso, resta a dúvida: como sobreviver em um mundo sem conexões de internet? Calma! Não é preciso se desesperar, pois você não precisa parar de usar o WiFi do shopping ou da cafeteria que você gosta de visitar.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Os conselhos são basicamente os mesmos de sempre: mantenha programas de segurança instalados no computador, tenha certeza de que seu firewall está ativo, não acesse o site do banco usando as redes públicas, procure usar senhas complexas em seus logins, tome cuidado com páginas suspeitas e, se puder, acesse apenas o básico.

Quem costuma se conectar em toda e qualquer conexão wireless precisa redobrar o cuidado, porque existem chances de usar redes falsas — até mesmo criadas em outros PCs. Lembre-se: perguntar não ofende e pode lhe evitar muitas dores de cabeça, portanto, ao visitar algum estabelecimento, não custa perguntar para algum atendente qual é a wireless do local e a senha de acesso.

Cupons de desconto TecMundo: