A Secretária de Estado do Reino Unido, Amber Rudd, está exigindo que as autoridades britânicas recebam acesso para ler e acompanhar mensagens trocadas por usuários do WhatsApp. Como as conversas possuem encriptação, Rudd pede que o governo receba um backdoor do serviço.

A Secretária acredita que a encriptação é completamente inaceitável

O pedido surgiu após uma investigação sobre Khalid Masood, homem que foi apontado pela polícia de Londres como o autor do ataque nos arredores do Parlamento Britânico. No caso, a investigação nota que Massod usou o WhatsApp minutos antes do ataque.

Amber Rudd disse para a BCC que a encriptação de ponta a ponta, presente em aplicativos como WhatsApp, iMessage, Telegram, Signal etc., é "completamente inaceitável" e que as companhias de tecnologia deveriam "cooperar mais com as instituições governamentais".

"Nós precisamos garantir que organizações como o WhatsApp não forneçam um local seguro para terroristas se comunicarem uns com os outros (...) Nós precisamos garantir que nossos serviços de inteligência tenham a capacidade de entrar em situações como a encriptação do WhatsApp", disse à BBC. Nadine Dorries, membro do parlamento britânico, twittou em apoio: "para manter nossas ruas seguras, nós precisamos nos levantar contra companhias como a Apple e o WhatsApp, que entregam espaço e conforto para os terroristas.

  • Nadine Dorries e Amber Rudd fazem parte do Partido Conservador e Unionista do Reino Unido

Keep calm and carry on the mass surveillance

A declaração de ambas as políticas gerou reações adversas na internet, provenientes de especialistas em segurança e direitos civis. O diretor do Open Rights Group, Jim Killock, disse o seguinte em comunicado: "Milhões de pessoas comuns ficarão menos seguras online se as empresas forem compelidas a entregar backdoors em serviços criptografados. A criptografia protege a nossa capacidade de nos comunicar, comprar e usar serviços bancários em segurança".

É possível encontrar um meio-termo entre privacidade e segurança?

Sobre oferecer ajuda para as autoridades, Killock deixou claro que as empresas devem cooperar sempre que possível. "A ajuda deve ser solicitada via mandados e o processo deve ser adequadamente regulado e monitorado".

Vale lembrar que, no ano passado, o FBI travou uma guerra contra a Apple para conseguir um backdoor e acessar as mensagens de um iPhone. No final das contas, o FBI conseguiu hackear o aparelho sem a necessidade de um backdoor.

  • O que você pensa sobre o assunto? Vale a pena sacrificar a privacidade para entregar acesso aos governos? Diga nos comentários.

Cupons de desconto TecMundo: