PlayStation comenta sobre Microsoft comprando Activision Blizzard

1 min de leitura
Imagem de: PlayStation comenta sobre Microsoft comprando Activision Blizzard
Imagem: PlayStation

A Sony comentou pela primeira vez a respeito da aquisição da Activision Blizzard pela Microsoft, acordo divulgado nesta terça-feira (18). A compra envolve cerca de US$ 70 bilhões e se tornou a maior da história dos games.

Em resumo, a declaração é um pedido da companhia japonesa para que os games da Activision, que abriga franquias bastante populares no PlayStation, não se tornem exclusivas de PC e plataformas Xbox com o tempo.

"Nós esperamos que a Microsoft respeite acordos contratuais e continue a garantir que os jogos da Activision continuem multiplataforma", disse um porta-voz da empresa ao The Wall Street Journal.

Futuro indefinido

Entre as franquias da empresa, estão séries de sucesso como Call of Duty — que bate recordes quase anuais de vendas no PlayStation e incluía bundles e conteúdos exclusivos das plataformas da Sony.

É possível que algum contrato não detalhado tenha sido fechado antes da compra da Activision Blizzard. No entanto, não se sabe até o momento qual a duração do acordo e exatamente que conteúdos ele envolve.

A situação parece similar ao que ocorreu com a Bethesda, adquirida em 2020 pela Microsoft: contratos em andamento antes da compra fizeram com que o jogo Deathloop tivesse a exclusividade temporária mantida no PS5 — o mesmo também acontecerá com GhostWire: Tokyo. Entretanto, a partir de agora, títulos exclusivos devem ser lançados somente no ecossistema Xbox  e nem todos os lançamentos chegarão às plataformas rivais.

No dia da aquisição, a Activision Blizzard garantiu que continuará fazendo jogos para PlayStation, embora agora os conteúdos exclusivos serão para o Xbox.