Além da Activision Blizzard: 10 maiores compras da Microsoft

4 min de leitura
Imagem de: Além da Activision Blizzard: 10 maiores compras da Microsoft
Imagem: efes/Wikimedia Commons
Avatar do autor

A compra da Activision Blizzard pela Microsoft nesta terça-feira (18) por quase US$ 70 bilhões movimentou a indústria de games e tecnologia: afinal, trata-se de uma gigante adquirindo outro conglomerado, formado por duas lendárias desenvolvedoras da indústria e recheado de franquias de sucesso.

Entretanto, a empresa cofundada por Bill Gates e atualmente presidida por Satya Nadella já desembolsou altas quantias em outras oportunidades, tanto dentro quanto fora do mercado de games. A seguir, listamos algumas dessas negociações e os valores aproximados de cada uma delas.

Vale lembrar que a lista deixou de fora várias aquisições de grande porte da Microsoft por causa do baixo preço envolvido — caso da desenvolvedora de jogos Rare, a empresa que criou o teclado virtual SwiftKey e companhias cujo valor de negociação não foi divulgado.

10. Visio Corporation (US$ 1,37 bilhão)

Microsoft Visio.Microsoft Visio.Fonte:  Microsoft 

A Visio foi comprada em 2000 pela Microsoft a partir de uma troca de ações e, por sete anos, foi a número um da lista. A companhia era uma desenvolvedora de softwares que, entre outros serviços, lidava com diagramas e gráficos vetoriais. O ainda em funcionamento Microsoft Visio é o principal fruto dessa compra.

9. Mojang (US$ 2,5 bilhões)

A dona de Minecraft.A dona de Minecraft.Fonte:  Minecraft 

A desenvolvedora Mojang foi adquirida pela Microsoft em setembro de 2014. Nascida em 2009 em uma sociedade formada por Markus "Notch" Persson, Jakob Porser e Carl Manneh, a companhia é focada na franquia Minecraft, um fenômeno em diversas plataformas, e já tinha laços fortes com a divisão Xbox e o sistema operacional Windows.

8. aQuantive (US$ 6,3 bilhões)

aQuantiv.aQuantiv.Fonte:  Microsoft 

Essa compra é pouco lembrada até pelo segmento da empresa: a norte-americana aQuantive lida com marketing digital e anúncios online. Feita em 2007, a aquisição é também considerada um fracasso, já que a companhia não conseguiu chegar perto do império de publicidade da rival Google e ainda teve problemas em integrar o novo modelo de negócios.

7. Nokia Mobile (US$ 7,2 bilhões)

O CEO da Microsoft, Steve Ballmer, e o então chefe da Nokia, Stephen Elop.O CEO da Microsoft, Steve Ballmer, e o então chefe da Nokia, Stephen Elop.Fonte:  Engadget 

Em setembro de 2013, a lendária fabricante finlandesa de celulares Nokia era absorvida pela Microsoft para fortalecer o Windows Phone. Como resultado, a empresa original ficou com o setor de conectividade e infraestrutura, enquanto a norte-americana virou a dona de um conjunto de propriedades das patentes e dos hardwares mobile — incluindo a família Lumia, que já existia no período.

Com o fim do lançamento de celulares da Nokia anos depois, a HMD Global hoje é a atual detentora da licença do nome Nokia.

6. GitHub (US$ 7,5 bilhões)

GitHubGitHubFonte:  GitHub 

O maior repositório de códigos de desenvolvimento do mundo foi adquirido pela Microsoft em junho de 2018. Para tranquilizar a base de usuários, que temia alterações radicais no serviço, a companhia reforçou que manteria o serviço independente, prezando pelo "comprometimento com a liberdade, a receptividade e a inovação do desenvolvedor" na plataforma, ao mesmo tempo em que expande o nome do GitHub para ainda mais profissionais da área.

5. ZeniMax Media (US$ 8,1 bilhões)

As franquias da Bethesda.As franquias da Bethesda.Fonte:  Microsoft 

Em setembro de 2020, a Microsoft já havia comprado uma empresa composta de vários estúdios de games: a ZeniMax Media, mais conhecida por abrigar nomes como a Bethesda, das franquias Fallout e The Elder Scrolls, além das desenvolvedoras id software, Arkane Studios e Machine Games. O catálogo principal de jogos já foi para o Game Pass e títulos exclusivos são esperados para o futuro próximo.

4. Skype Technologies (US$ 8,5 bilhões)

Skype.Skype.Fonte:  Skype 

A aquisição do Skype foi, em 2011, a maior da história da empresa até aquele momento. O software de comunicação por internet e via VoIP rapidamente foi integrado aos serviços da marca e pré-instalado no Windows, ganhando ainda mais visibilidade. Em 2005, a empresa já havia sido vendida para o eBay e, em 2009, trocou de novo de casa para ser controlada por um grupo de investidores.

Atualmente, a ferramenta de comunicação permanece no catálogo da empresa, mas perdeu espaço com a popularização do Microsoft Teams.

3. Nuance Communications (US$ 19,7 bilhões)

Nuance.Nuance.Fonte:  Microsoft 

Menos badalada que várias outras integrantes da lista, essa negociação é parte da estratégia da Microsoft de integrar novos setores. A Nuance foi absorvida em abril de 2021 e trabalha em dois setores: serviços de reconhecimento de voz e softwares de inteligência artificial. Um de seus trabalhos mais reconhecidos no mercado é o desenvolvimento da base da Siri, a assistente pessoal digital da Apple. Uma possível compra da companhia por rivais, como a Samsung, era especulada anos antes.

2. LinkedIn (US$ 26,2 bilhões)

LinkedIn.LinkedIn.Fonte:  LinkedIn 

Em uma aquisição surpreendente tanto pelo preço quanto pela movimentação em si, a rede social corporativa passou a pertencer à gigante em 2016. O LinkedIn permanece como um negócio independente na empresa, mas recebeu mais investimentos e integração com outros serviços dentro e fora da nova dona.

1. Activision Blizzard (US$ 68,7 bilhões)

As novas franquias da empresa.As novas franquias da empresa.Fonte:  Microsoft 

Pelo valor de mercado envolvido na transação, essa é a maior aquisição já feita pela Microsoft como um todo. Franquias como Call of Duty, Diablo, Crash Bandicoot, World of Warcraft, Candy Crush e Tony Hawk agora são parte do portfólio do Xbox, mas ainda é cedo para saber qual será o futuro de cada série dentro e fora dos consoles da empresa. A expectativa é que o negócio seja concluído até junho de 2023.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.