Enquanto no Brasil o clima esquenta bastante – muito, mesmo – toda vez que se discute a liberação, regulamentação ou proibição do Uber, lá fora o serviço de caronas pagas se envolve em polêmicas ainda maiores. Se você já assistiu a filmes de roubo, como “Uma Saída de Mestre” e “Onze Homens e Um Segredo”, sabe o motorista do grupo é uma peça importante para deixar o local da ação, certo? Nos Estados Unidos, um rapaz de 23 anos está sendo acusado pela polícia de ter abraçado essa ideia, mas, em vez de contratar um parceiro, recorreu a um carro da empresa para tentar se safar de um crime.

Segundo as informações da imprensa norte-americana, Dashawn Terrell Cochran entrou em uma loja na cidade de Parville, no estado de Maryland, e resolveu fazer um dinheiro fácil. O rapaz foi até o caixa com uma caixa de Tylenol, mas, em vez de pagar, apontou uma arma para o atendente e sai rapidamente do estabelecimento levando uma quantia não divulgada de dólares da caixa registradora. O problema foi que algumas testemunhas que estavam por ali viram o homem entrando em um Lexus prateado que partiu logo em seguida.

Dashawn Terrell Cochran.

Acionada pela loja, a polícia demorou cerca de 30 minutos para localizar o veículo e prender Cochran antes que ele sumisse de vista. Questionado pelas autoridades, o motorista revelou que era funcionário do Uber e não tinha ideia que dava carona a alguém armado. Outras duas pessoas que estavam dentro do carro também afirmaram não conhecer o suspeito, o que pode levantar a hipótese de que o jovem não usou o app do serviço, mas sim entrou em um automóvel que veio atender a outros clientes. De acordo com a CNET, nem o Departamento de Polícia local ou o Uber deram mais detalhes do caso.

O que se sabe até agora é que Cochran segue confinado no Centro de Detenção do Condado de Baltimore, sob uma fiança de US$ 250 mil – pouco mais de R$ 940 mil – e deve responder por uma série de crimes, entre eles assalto à mão armada e roubo com valor menor que US$ 1 mil. O caso alerta para o fato de que, embora os passageiros possam estar em risco ao pegar carona com a companhia – principalmente as mulheres –, isso também vale para o condutor cadastrado no serviço, já que ele nem sempre sabe quem entra em seu veículo.

Norte-americano “inova” e tenta usar Uber para fugir de cena do crime. Comente sobre o assunto no Fórum do TecMundo!

Cupons de desconto TecMundo: