Fora do ar desde pelo menos julho deste ano, o Kickass Torrents (KAT), conhecido anteriormente como o maior portal de compartilhamento de torrents do mundo, acabou seguindo os passos de um de seus antecessores e fez o seu retorno à internet na última sexta-feira (16). A volta do site já era ensaiada há alguns meses, desde que administradores e membros mais ativos dessa comunidade online criaram uma página paralela – pouco depois da derrubada do endereço original – para sinalizar que o projeto estava longe de acabar.

Para quem não se lembra do caso, há cerca de cinco meses um esforço conjunto do FBI, dos estúdios hollywoodianos e de gigantes da tecnologia – como Apple e Facebook – resultou em uma operação quase cinematográfica que resultou na prisão do suposto fundador do KAT e no fechamento de sete domínios responsáveis por manter a empreitada ilegal em funcionamento. No entanto, do mesmo modo como o antigo The Pirate Bay (TPB) renasceu das cinzas pelo menos uma meia dúzia de vezes, o Kickass anota sua primeira reformulação.

Os antigos uploaders devem marcar presença no novo KAT

A transição deve ser a mais suave possível para os internautas

De acordo com comunicados dos próprios integrantes dessa nova fase do site – que agora opera em outra URL e usando outros hosts –, a transição deve ser a mais suave possível para os internautas que estavam acostumados com a versão anterior do serviço. O visual da página, o sistema de busca e até a forma de fazer upload de arquivos com a extensão torrent continuam os mesmos, apesar de o banco de dados de usuários ter sido completamente limpo – obrigando antigos visitantes a fazerem seu cadastro novamente.

Eles também afirmam que a turma que faz o negócio andar é praticamente a mesma de antes, da “alta gerência” aos moderadores e à equipe de suporte. “Isso mostra a lealdade, dedicação e o amor pelo KAT que todos nós compartilhamos”, explica o time. A maior conquista para esse KAT 2.0 e o motivo que pode fazer os antigos frequentadores retornarem para o portal? O fato de a administração ter convencido os grupos e usuários mais ativos na disseminação de torrents a apoiar o projeto – garantindo um acervo numeroso para o público.

Dentro da lei? Difícil, hein...

Ok, mas trazer um site como esses de volta não é basicamente colocar uma contagem regressiva até que as autoridades resolvam tomar providências contra essa nova central de compartilhamento de material digital pirateado? Para os novos diretores do KAT a resposta é: não. Em entrevista ao TorrentFreak, eles afirmam estar tranquilos em relação a qualquer disputa legal, já que não armazenam nenhum arquivo que infringe copyright de terceiros em seus servidores, apenas agem como um mecanismo de busca para os internautas.

A lista de downloads já é bastante generosa, mesmo com a instabilidade do portal

Embora essa visão mais liberal não costume ser a mesma dos agentes da lei e juízes por trás dos processos envolvendo o fechamento de portais de torrent, a turma por trás do projeto acredita que até mesmo os donos da página original vão se safar em seus julgamentos finais. Para eles, o fato de as autoridades norte-americanas estarem utilizando leis dos EUA para julgar cidadãos de outros países é algo ilegal e que deve acabar colocando as prisões em xeque – resultando na soltura dos suspeitos.

Os servidores do novo site não aguentaram a onda massiva de acessos

Seja como for, é bem provável que tenhamos mais notícias sobre esse tema dentro das próximas semanas ou nos próximos meses. Por enquanto, esse retorno do KAT já reproduz boa parte dos passos da estratégia utilizada anteriormente pelo TPB. Duvida? Bem, basta dizer que os servidores do novo site não aguentaram a onda massiva de acessos em seu primeiro dia, fazendo com que o serviço saísse e voltasse ao ar de forma intermitente. E aí, você acha que o Kickass Torrents vai voltar de vez ou que a Justiça não vai deixar isso acontecer?

Cupons de desconto TecMundo: