A PROTESTE, entidade que atua na defesa e no fortalecimento dos direitos dos consumidores brasileiros, fez um estudo mostrando que há saída para falar mais e gastar menos quando se trata de ligações interurbanas. Segundo a instituição, dependendo do perfil, é possível economizar até R$ 2.484,84 por ano em chamadas de longa distância apenas trocando de plano.

Tudo vai depender, é claro, do perfil do usuário e dos planos que ele utiliza para realizar as ligações. As maiores economias acabam ficando para usuários intensos do serviço, que utilizam muitos minutos de chamada para outros estados. Isso pode englobar também empresas com filiais em diferentes unidades da federação, que podem poupar valores consideráveis caso escolham os planos corretos de telefonia.

Fazendo alguns cálculos

Uma grande economia pode ser obtida se um consumidor que possui um perfil intenso e fala cerca de 300 minutos mensais trocasse, por exemplo, o plano “Básico 31” da Oi, no Rio, com custo de R$ 227,08 mensais, pelo “Faz um 21 por 21” da Embratel, no valor de R$ 20,01 por mês, considerando nesse plano um consumo de 60 chamadas de 5 minutos.

Em São Paulo, onde o plano da Embratel sai por R$ 19,59 e o “Casa Fixo Pós” da TIM por R$ 177, a economia mensal seria de R$ 157,41. E com a troca, faria uma economia anual de R$ 1.888,92.

A Embratel foi a empresa que se mostrou com o melhor custo-benefício

Nas discagens usando DDD, algumas operadoras cobram tarifas diferentes de acordo com a distância e o horário da chamada. Para o estudo, foram criados quatro perfis de usuários: três nas ligações de fixo para fixo (de 50, 150 e 300 minutos) e um de fixo para celular (de 50 minutos). Na pesquisa foram checados os preços das operadoras AlgarTelecom, Embratel, GVT, Oi, TIM e Vivo. A Embratel foi a empresa que apresentou o melhor custo-benefício.

Nas ligações tipo fixo-móvel, a distância entre as cidades não é considerada. No Rio de Janeiro, a melhor opção é o plano “31 Simplificado Celular” da Oi e em São Paulo, o “Casa Fixo Pós” da TIM.

Não se perca entre tantas opções de operadoras de telefonia

Ligando para longe sem medo

A discrepância de preços ocorre por diversos fatores, entre os quais a forma de cobranças das operadoras. No exemplo da PROTESTE, a Embratel cobra mensalidade para o uso do DDD (R$ 7,41 no Rio de Janeiro e R$ 6,99 em São Paulo), e cada ligação sai a R$ 0,21 por chamada. Já na Oi, o custo varia entre R$ 0,17 e R$ 0,76 por minuto, dependendo do horário. E na TIM sai a R$ 0,59, a qualquer hora.

A opção de tarifa única por chamada só é recomendável para quem faz ligações de longa distância com frequência superior a 300 minutos mensais

Há operadoras que cobram uma única tarifa por chamada, sem levar em conta a duração. Outras oferecem pacotes ilimitados de minutos DDD por um preço fixo mensal. Porém, essa opção só é recomendável para quem faz ligações de longa distância nacional com frequência superior a 300 minutos mensais. Do contrário, um pacote de 50 ou 150 minutos pode atender às necessidades, com um custo muito mais baixo.

Faça ligações em DDD sem dor de cabeça

Simulando os gastos

O site da PROTESTE oferece um recurso muito interessante para quem quer calcular os gastos com ligações telefônicas. É possível acessar um simulador de DDD para comparar as tarifas atualizadas de 26 estados brasileiros, colaborando na decisão sobre qual sistema usar para realizar as chamadas.

Em caso de orçamento apertado, a internet é sempre uma boa alternativa, com possibilidade de ligações gratuitas, inclusive internacionais. Mas é preciso ter uma boa conexão de banda larga para usar aplicativos como WhatsApp, Skype e Viber.

Qual é a sua operadora de telefonia favorita na hora de fazer chamadas de longa distância? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: