Tecnologia é algo muito difícil de prever porque geralmente nós olhamos para o futuro com os olhos do presente. Uma das maiores provas dessa afirmação é o artigo publicado pelo jornal Boston Globe em 1900, tentando adivinhar como seriam os anos 2000.

O artista francês Jean-Marc Côté e demais pintores da época também imaginaram como seria nossa sociedade no então longínquo século XXI. O resultado: barbearias automáticas, taxis aéreos, bombeiros voadores, domínio de cavalos marinhos, orquestras mecânicas e até máquinas que transferem o conteúdo de livros diretamente para nossos cérebros.

Todas essas ideias não deram certo, como podemos constatar atualmente. Mas algumas destas criações acertaram quase na mosca, como robôs que limpam a casa sozinhos, as máquinas que fabricam roupas prontas e  até tratores equipados com GPS e piloto automático.

Da mesma forma, outros projetos tecnológicos que foram projetados em décadas passadas provaram-se estar à frente do seu tempo, e chegaram antes da hora, para uma infraestrutura que ainda não estava pronta para absorvê-la. Conheça agora sete delas:

1. A internet francesa da década de 1980

O Minitel é considerado o precursor da internet moderna. Ele foi lançado em 1982 na França e sobreviveu por 30 anos, permitindo que os usuários pudessem checar um catálogo telefônico, reservar passagens de trem e ingressos para teatro, conferir notícias e acessar salas de bate-papo, incluindo salas com conteúdo adulto.

Em 1985, o Minitel estava conectado em aproximadamente um milhão de casas francesas. O número 3615 usado para acessar serviços era tão famoso como o www é hoje, sendo amplamente divulgado na mídia do país.

Em 1997, o então presidente francês Jacques Chirac se vangloriou do sistema, provocando: “Hoje, um padeiro em Aubervilliers sabe perfeitamente como verificar a sua conta bancária no Minitel. O mesmo pode ser dito do padeiro em Nova York? ”.

Em seu auge, o Minitel estava instalado em nove milhões de residências, com um número estimado de 25 milhões de usuários, além de 26 mil serviços oferecidos. Mas a tecnologia considerada revolucionária na época só podia ser usada em terminais com sérias limitações.

Hoje, um padeiro em Aubervilliers sabe perfeitamente como verificar a sua conta bancária no Minitel. O mesmo pode ser dito do padeiro em Nova York?

Por exemplo: apenas endereços oficiais podiam ser acessados e não haviam opções de pesquisa de sites. Além disso, os terminais não armazenavam e nem analisavam informações. Eles também eram relativamente caros, embora alguns serviços, como a lista telefônica, fossem disponibilizados gratuitamente.

Um dos serviços mais caros fornecidos pela Minitel era o chat adulto. As companhias que ofereciam esse tipo de recurso geralmente empregavam homens que se passavam por mulheres durante as conversas.

Muitas funcionalidades do Minitel foram absorvidas pela Internet. Em 2012, o ano que o serviço foi desativado definitivamente, ainda haviam 810 mil terminais conectados, a maioria de pessoas mais velhas que resistiam em abandoná-lo.

Um dos entusiastas da tecnologia resumiu seu amor pelo serviço: “Você não ganha as nuvens de informações inúteis que você ganha na internet. Não há nenhum risco de vírus ou de fraude. Foi uma invenção notável".

2. Fusão de Trem e Carro em 1960

Já imaginou um sistema de transporte que mescle o conforto de um carro com a agilidade de um trem? Essa era a ideia de alguns engenheiros do mundo todo durante as décadas de 1960 e 1970, ao imaginarem o Sistema Rápido Pessoal (SRP), em paralelo ao Sistema Rápido de Transporte (SRT).

Ao usarem esse sistema, as pessoas poderiam ser guiadas por pequenos carros diretamente aos seus destinos, sem nenhuma parada no caminho. Embora uma tecnologia de transporte revolucionária, dificilmente foi possível obter financiamento para colocar os projetos em prática.

Um dos primeiros sistemas desse tipo – que funciona até hoje – foi desenvolvido pela Boeing, construído na cidade de MorganTown, nos Estados Unidos, e financiado pelo governo americano. Ele conecta o centro da cidade a Universidade West Virginia.

O sistema conta com 71 carros autopropulsados que transportam 15 mil alunos por dia. Os carros atingem a velocidade máxima de 48 km/h em uma pista de 14 km. Com sua implementação, as matrículas aumentavam consideravelmente dentro da instituição.

Estruturas parecidas foram implementadas na Holanda, Abu Dabhi, Reino Unido e Coréia do Sul ajudando a aliviar o congestionamento, tornando-se uma parte segura e confiável da infraestrutura das cidades.

3. Interação com a TV nos anos 1970

Em uma época em que as televisões ainda não eram inteligentes, uma tecnologia revolucionária permitiu a interação entre telespectadores e o conteúdo dos programas. Foi na década de 1970, quando a Ohio Warner Cable apresentou um sistema de cabos de duas vias batizado de Qube.

O componente principal do Qube era o seu controle remoto, composto por 18 botões diferentes. Através dele, qualquer pessoa poderia votar sobre temas diversos, compartilhar opiniões, responder a questionários e até mesmo encomendar filmes pay-per-view, além de conteúdo adulto.

O Qube foi um dos primeiros sistemas a permitir que os expectadores interajam. Diversas outras estações ficaram interessadas pela tecnologia que oferecia conteúdo local e também incluía mais de 30 canais globais, sendo 10 deles exclusivos para conteúdo pagos por demanda.

No primeiro dia do serviço, os 10 mil assinantes iniciais puderam rejeitar um cover do Elvis Presley durante um show de talentos, comprar um taco de golfe do governador local em um leilão de caridade e escolheram itens para serem adicionados a uma capsula do tempo.

Embora popular entre os moradores da região e entusiastas, o custo da rede experimental era elevado, o que acabou gerando dívidas para a Warner Cable. Dessa forma, o projeto foi engavetado após seis anos de operação.

4. Uma rede social antes de Orkut e Facebook

O Orkut era uma rede social que seguia a célebre experiência do psicólogo americano Stanley Milgram, que em 1961 conseguiu comprovar por meio de um experimento que existe um total máximo de seis graus de separação entre qualquer pessoa no mundo.

Entretanto, outra rede social antes do Orkut fez sucesso com essa mesma fórmula: a SixDegrees.com. Ela foi lançada em 1997, sendo considerada a primeira rede social moderna além de revolucionária para a época. Em seus tempos áureos, chegou a atingir até um milhão de usuários.

Por meio dela, os usuários podiam criar perfis sociais, enviar mensagens instantâneas, conferir a lista de amigos, e muito mais. Os usuários podiam criar suas próprias redes de contatos, publicar conteúdo, além de postar artigos em níveis de primeiro a terceiro grau.

O grande problema da SixDegrees foi a dificuldade em conseguir monetizar o negócio, já que o modelo econômico existente na época não conseguia suportar um fluxo de receitas de publicidade na internet. Isso forçou Milgram a fechar o site no ano 2000.

5. Download de jogos na década de 90

Baixar jogos digitais diretamente nos consoles é algo muito comum nos dias de hoje, mas não era na década de 90. Entretanto neste período, em que imperavam cartuchos e os primeiros videogames com CDs começaram a aparecer, a Sega lançava um serviço que anteveria nossa atual geração.

O Sega Channel foi a primeira tentativa de transmitir conteúdo digital para o Mega Drive. Enquanto a internet ainda estava em seus estágios iniciais, a empresa colaborava com gigantes como a Time Warner Cable para entregar jogos através de um cabo.

Os usuários teriam que pagar uma taxa de 25 dólares de instalação e mais 15 dólares mensais para receber um adaptador que encaixava no slot do cartucho do console e que daria acesso a 50 jogos diferentes, distribuídos de forma aleatória ao longo dos meses.

O catálogo incluía games da própria Sega, de terceiros e até jogos de demonstração. O Sega Channel enviava um sinal para o adaptador permitindo o download, que geralmente era feito em minutos. Entretanto, o conteúdo era apagado quando você desligava o videogame.

O Sega Channel chegou a contar com 250 mil inscritos no auge do serviço. Entretanto, a empresa não conseguia fazer frente à Nintendo, o que acabou gerando prejuízos. Além disso, o sucessor do Mega Drive, o Sega Saturn, não conseguiu obter um bom desempenho de vendas, selando de vez a morte do serviço.

6. Podcasts em1993

Os podcasts ser tornaram febres na internet sendo atualmente apreciados por milhões de pessoas mundo a fora. Entretanto, esse serviço teve um predecessor: o Internet Talk Radio, idealizado por Carl Mulamud, que era um programa semanal de 30 a 60 minutos baixado através de FTP.

Todos os episódios eram centrados em um convidado, geralmente um especialista dentro da área de informática, e apelidado de “Geek da Semana”. E acompanhá-los não era tão simples, já que a maioria dos computadores não tinham nem placa de som e eram incapazes de lidar com fluxos de 64 mil bits por segundo – o que obrigava as pessoas a baixarem o show.

As críticas foram duras na época, já que o show consumia uma largura enorme de banda, o que era considerado um desperdício. Porém, o show também poderia ser assinado através de fitas-cassete, enviadas na casa dos interessados.

O Internet Talk Radio ajudou a lançar a transmissão de áudios pela internet. Mick Jagger, vocalista dos Rolling Stones, em um dos primeiros shows realizados online, cumprimentou a plateia e saudou especialmente todos que estavam acompanhando a apresentação pela internet.

7. Smartwatch em 2004

Muita gente não sabe, mas a Microsoft anunciou em 2004 o SPOT, uma das primeiras tentativas de criar-se um relógio inteligente. Ele usava sinais de rádio para receber notícias, previsão do tempo, calendário, informações sobre esporte, horóscopo e muito mais. Você poderia até receber mensagens do MSN Messenger, embora não pudesse responder.

Diversas empresas ofereceram relógios com essa tecnologia, incluindo companhias como Suunto, Fossil, Tissot e Swatch. Entretanto, os modelos não eram nada baratos, e o serviço da Microsoft custava US$ 39,95 por ano, ou US$ 9,95 por mês. Estavam disponíveis apenas nos Estados Unidos, em 100 regiões metropolitanas.

As vendas do SPOT foram interrompidas em 2008, embora as pessoas que já tivessem os modelos pudessem a continuar a usá-los através do serviço MSN Direct. Ficou claro que os esforços da Microsoft ajudaram a pavimentar a criação dos smartwatches da geração atual.

Cupons de desconto TecMundo: