Redes WiFi e Bluetooth podem até funcionar bem com a quantidade limitada de aparelhos inteligentes disponíveis para as nossas casas hoje, mas nenhum dos dois parece ser o ideal para os lares do futuro, em que cada botão, tomada e lâmpada poderá ser um dispositivo conectado. Buscando criar uma nova e melhor forma de unir esses gadgets, sete companhias anunciaram a formação do Thread Group – incluindo Samsung, Nest Labs (da Google), ARM e outras.

A união deu origem ao desenvolvimento de um novo protocolo de rede sem fio baseado em IP chamado Thread e, após a conclusão do projeto, pretende incentivar sua adoção no mercado. O padrão foi construído sobre hardware de rádio já existente usado em dispositivos ZigBee (802.15.4), o que significa que uma companhia poderia simplesmente atualizar seus equipamentos que usam o padrão antigo para dar suporte ao Thread.

Segundo as empresas, enquanto as redes WiFi consomem energia em excesso, o Bluetooth possui um alcance curto demais e não possibilita verdadeiras redes mesh – nas quais qualquer aparelho pode mandar sinais para os outros. Com pouco consumo de energia e suporte a IPv6, o protocolo Thread poderia criar uma rede mesh com suporte a mais de 250 aparelhos dentro de cada casa e acesso direto à internet e à nuvem a partir de cada um deles.

Redes pra todo lado

O Thread Group vem para se somar a alguns outros coletivos que estão tentando viabilizar e melhorar o amplo conceito de Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês). O termo descreve a ideia de termos todos (ou quase) os utensílios, objetos e dispositivos eletrônicos conectados uns aos outros e à internet, seja dentro de nossas casas, escritórios ou qualquer outro lugar – quem já jogou os games da série Mega Man: Battle Network pode ter uma ideia melhor.

O novo grupo surge cerca de uma semana após o anúncio da criação de outro esforço coletivo chamado Open Interconnect Consortium, que possui suporte da Intel e da Samsung. Um terceiro projeto, chamado AllSeen Alliance, foi estabelecido em dezembro com apoio da Qualcomm, e gigantes como Google e Apple já discutiram sobre a conexão de dispositivos.

“As abordagens já existentes de redes sem fios foram introduzidas muito antes da Internet das Coisas ganhar espaço. O protocolo Thread pega as tecnologias atuais e combina as melhores partes de cada para fornecer uma maneira aprimorada de conectar produtos dentro das casas”, afirmou o vice-presidente e evangelista-chefe da internet da Google, Vint Cerf – que também é conselheiro do novo grupo.

Indícios do futuro

O protocolo Thread vem com a intenção de resolver algumas questões presentes na competição, incluindo a falta de interoperabilidade, altos requerimentos de energia e dependência de hardwares específicos. Mesmo considerando que a novidade oferece recursos interessantes como escalabilidade e criptografia com “chave pública” no “mesmo nível de instituições bancárias”, ela ainda apresenta outros pontos de destaque.

A maior vantagem do Thread é o fato de que basta uma atualização de software para que ele se torne compatível com muitos produtos do mercado de automação doméstica que já estão disponíveis. Além disso, o envolvimento da Samsung pode facilitar o aparecimento do protocolo na próxima onda de smartphones e tablets.

Hoje, produtos como o Nest Learning Thermostat e o Nest Protect já vêm com uma versão funcional do Thread, e novos equipamentos usando a novidade podem chegar já no próximo ano. Segundo o GigaOm, o Thread Group pretende realizar um conjunto rigoroso de testes, certificação e incentivo à adoção da tecnologia, processo que deve começar em meados de 2015.

Cupons de desconto TecMundo: