Você deve imaginar que muito do que temos atualmente em nosso mundo foi inspirado na natureza, não é mesmo? Quem é que nunca olhou para os pássaros e imaginou como seria maravilhoso poder voar?

Algo que todos sabem é que os sonares de submarinos foram influenciados por animais marinhos que utilizam seus gritos para comunicação e localização, por exemplo. Também é de conhecimento comum que o estudo das asas de pássaros foi utilizado para a criação de aeronaves mais eficientes.

Existem muitas outras influências da natureza em nossa tecnologia. Você gostaria de conhecer um pouco mais sobre elas? Então confira algumas das mais legais que podem ser encontradas atualmente ao redor do mundo.

1. Os painéis girassolares

Energia limpa é um desejo de quase todos os cientistas que não ganham rios de dinheiro com petróleo e energia termonuclear. Pois alguns deles se inspiram nos girassóis para fazer com que a geração energética fique ainda mais eficiente e menos nociva ao meio ambiente. Um ótimo exemplo disso está em novas pesquisas realizadas no MIT (Massachusetts Institute of Technology).

Lá, cientistas estão criando novas formas de organizar as células de captação otimizando a obtenção de luz por meio de pequenos espelhos. Esse processo é chamado de CSP (Planta Solar Concentrada, em português) e consegue reduzir em 20% a necessidade de espaço para a geração energética. O foco agora está em tentar igualar o “ângulo dourado” de 137 graus visto nas flores — o mais eficiente possível.

2. Dinoturbinas

Pode até parecer que isso é o nome de algum equipamento visto em Power Rangers, mas não é. Ele foi criado por cientistas da Siemens para fazer com que as turbinas de vento se tornem mais eficientes para os estudos e desenvolvimento de energia reutilizável. O sistema se chama DinoTails e foi inspirado em algo bem mais antigo do que estamos acostumados a ver: placas ósseas de dinossauros — estegossauros, neste caso.

Com base nas extremidades pontudas e serrilhadas do animal extinto muitos anos antes de alguém pensar em turbinas de vento, o equipamento permite a redução de turbulência e também aumenta a eficiência da captação de energia por meio da rotação dos geradores eólicos.

3. Proteção militar crustácea

Você já deve ter ouvido falar na Lagosta-Boxeadora, que é conhecida como um dos animais mais fortes dos mares. Além de ser capaz de bater muito forte em seus inimigos naturais, ela também possui uma carapaça de alta resistência — que permite que ela sofre vários ataques sem que seja afetada.

Com base nisso, pesquisadores começaram a fazer estudos sobre a composição do animal para que consigam criar armaduras, proteções e outros equipamentos para militares. O objetivo disso está em fazer com que os soldados consigam ficar mais protegidos ao mesmo tempo em que podem sofrer menos com o carregamento de utensílios pesados.

4. Velcro

Pois é!  Pode parecer surpreendente para alguns, mas o velcro foi criado com base em observações da natureza. Em 1941, George de Mestral (um engenheiro suíço) percebeu que seu cachorro estava coberto de pequenas plantas Arctium. Ele levou algumas para casa e as analisou com o microscópio, percebendo pequenas estruturas que faziam com que elas grudassem. Depois foi só adaptar para os tecidos e ganhar muito dinheiro com a patente.

5. Ventosas de lagartixa

O nome Gecko Tape é conhecido de alguns. Trata-se de uma fita de altíssima fixação, inspirada em pés de lagartixas. O produto permite que objetos pesados fiquem presos às paredes ou aos tetos com muita facilidade, alto poder abrasivo e pouquíssimas chances de acidentes.

O grande truque está no fato de que a tecnologia permite a retirada rápida da fita sem deixar qualquer vestígio — sendo essa a maior inspiração do animal. Para isso, basta fazer com que a pressão de retirada seja feita em direção oposta à da fixação.

6. Vidro de molusco

Lesmas são moluscos, então todo molusco é molenga, certo? Errado! É preciso lembrar que caramujos também são moluscos e seus cascos são muito resistentes. Por isso, pesquisadores do Canadá estão estudando as estruturas para conseguir fazer com que vidros inspirados nesses cascos possam ser até 200 vezes mais fortes do que vidros comuns.

E sabe como isso é feito? O vidro é gravado com microfissuras, que depois são preenchidas com um polímero. Com isso, em vez de sofrer com a quebra nos impactos, há apenas pequenas distorções que impedem rachaduras e problemas maiores.

7.  Jubarte eólica

As baleias jubarte são pesadas. Muito pesadas. De fato, elas podem chegar às 36 toneladas na fase adulta e, mesmo assim, conseguem nadar de um modo bastante ágil. Boa parte dessa capacidade é oriunda de uma estrutura chamada tubérculo, que fica na barbatana do animal. Pois um professor dos EUA chamado Frank Fish decidiu aplicar essa estrutura a usinas eólicas.

Com isso, as turbinas conseguem gerar mais energia com menos ruídos e menos interferências de atrito. Ou seja: mais uma inspiração da natureza que pode gerar muitos frutos para a humanidade a longo prazo.

.......

Cupons de desconto TecMundo: