iOS 15 mostra que Apple e Google têm muito em comum [Hands-on]

6 min de leitura
Imagem de: iOS 15 mostra que Apple e Google têm muito em comum [Hands-on]
Imagem: Nikkimeel/Shutterstock
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

Depois de lançar a segunda prévia para desenvolvedores, a Apple lançou o primeiro beta público do iOS 15 para todos os usuários. Então, se você tem um iPhone 6s ou um modelo mais recente, já pode experimentar tudo antes de todo mundo.

E as novidades são boas e bem fáceis de serem encontradas. Mas, também, existem bugs que podem incomodar e atrapalhar a experiência de uso. Se mesmo assim você quiser instalar a versão beta, leia também os relatórios da Apple com os problemas. Aí você se prepara um pouco melhor sobre esses problemas.

"O iPhone é indispensável"

Uma das primeiras frases ditas por Craig Federighi, VP Sênior de Engenharia de Software, na apresentação da Apple, cita que o iPhone se tornou indispensável para muitos de nós. A ideia por trás do iOS 15 é que ele seja adaptável e complementar ao que já temos. Ou seja: é uma atualização grande? É. Muda completamente tudo? Não, não muda.

FaceTime LinkLinks do FaceTime podem ser abertos no PC, Android e outros dispositivos via navegador.

Mas ele divide o iOS em quatro pontos: conectividade, foco, inteligência e "explorar o mundo ao redor". Por exemplo: o FaceTime agora permite criar links de chamadas para outros usuários do Android e PCs. Mas existem dois recursos que merecem destaque:

1) O iOS 15 permite usar o isolamento de voz nos microfones em boa parte dos apps. Basta puxar a Central de Controle e tocar no ícone de microfone, e então escolher entre o modo padrão, de isolamento e de espectro amplo, que capta ruídos ao redor.

2) Nessa mesma área, há um botão para a câmera que permite usar o "modo retrato" nativo do sistema. Não é nenhum tipo de efeito de redes sociais, é tudo feito pelo celular. Mas, lembre-se: também pode não funcionar em todos os apps.

Outra novidade é o SharePlay, que permite fazer chamadas para outras pessoas para assistir a filmes e séries, ou ouvir músicas juntos, e até mesmo compartilhar a própria tela com outros participantes no FaceTime.

Mantenha o foco

Uma adição importante ao iOS 15 foi o modo de Foco. Ele é uma espécie de "Não Perturbe" evoluído, adaptável. Eu venho usando ele nas últimas semanas e, confesso, que tem sido um dos melhores ajustes.

Com o modo de Foco, o iPhone deixa de atrapalhar o usuário com cada notificação que chega. É possível criar perfis personalizados e adicionar contatos, aplicativos e notificações específicas para serem entregues. Dá, até mesmo, para escolher horários, locais e ações relevantes para que uma notificação seja ou não entregue.

Modo de Foco iOS 15O modo de Foco iOS 15 pode ter perfis adaptáveis à rotina do usuário.

Assim, tudo aquilo que pode servir apenas para distrair é agrupado em uma área que você pode ver depois. Mas, também, há um resumo de notificações com tudo o que pode ser relevante, que pode ser mostrado em um horário específico, como logo pela manhã.

Um "detalhe" legal é que cada modo de Foco pode ter sua própria página inicial. Por exemplo: no trabalho, você pode deixar os apps e widgets que costuma utilizar com frequência, sem precisar ver os ícones de redes sociais.

Quando algum desses modos for ativado no celular, outros dispositivos como o Apple Watch, iPad ou Mac também farão o mesmo.

As notificações, é claro, foram redesenhadas pela milésima vez. O método continua o mesmo, elas estão mais agrupadas, mas os ícones estão um pouco maiores e elas mostram fotos de contatos. Os textos também parecem menores, só que mais centralizados.

Novo Safari

A interface do Safari foi remodelada, e agora a barrinha de endereços aparece (e some, também) no canto inferior. Isso ajuda bastante na navegação, mas também atrapalha. O botão de compartilhar uma página, por exemplo, agora fica dentro desse menu pontilhado. As guias também foram remodeladas, mas para um formato positivo.

iOS 15 SafariBarra de navegação do iOS 15 agora fica na área inferior e "se esconde" durante a navegação.

Outro detalhe do Safari é que, agora, você consegue trocar de página da mesma forma que o iOS permite trocar de apps na multitarefa. Basta tocar e arrastar a barrinha de navegação para a esquerda ou direita, e aí ele faz essa troca.

Essa foi uma mudança impactante e que vai exigir um certo costume dos usuários. Veremos como tanto o público quanto a Apple vai lidar com isso até o lançamento oficial do iOS 15.

Google Lens, só que da Apple

Sabe o Google Lens? Aquele, que "lê coisas", permite copiar textos em documentos, páginas e mais usando a câmera? Então, a Apple agora tem um e ele se chama "Live Text", ou Texto ao Vivo em português.

Não tem muito segredo: você pode selecionar o texto ou números de uma foto, placa, escrita na parede; e em alguns modelos é possível fazer isso diretamente da câmera. O Texto ao Vivo também vai permitir fazer traduções e pesquisas em fotos por objetos, animais, artes, atrações turísticas, livros e mais.

Novidades legais

Tem muita coisa do iOS 15 que a gente só vai ver nos próximos betas. Mas a gente não poderia deixar de falar das mudanças menores. Então, nós separamos algumas novidades que merecem destaque até agora:

  • O app de tempo está muito mais legal, redesenhado e com informações mais claras

  • Agora, os alarmes podem ser editados simplesmente tocando neles

  • Existe um filtro de spam para SMS aqui no Brasil

Filtro de spam iOS 15Filtro de spam no iOS 15 é exclusivo para usuários brasileiros.

  • A busca do iOS agora é o Spotlight, a mesma do Mac e do iPad

  • É possível apagar ou ocultar páginas iniciais inteiras

  • A lupa voltou a aparecer na navegação de texto

  • O Safari agora permite atualizar páginas puxando elas para baixo, como no Chrome

  • As fotos agora têm informações e detalhes da composição

  • Dá para colocar um monte de ícones de um mesmo app na tela inicial

  • O Safari também ganhou extensões

Em termos de segurança, a Apple agora também registra cada atividade dos apps em relação aos sistemas do celular. Também foi anunciado que o Mail poderá ocultar a atividade nos e-mails, além de ocultar o endereço principal.

Devo atualizar?

Como nem tudo é perfeito e estamos em uma versão beta, o iOS 15 pode ser problemático. Por aqui, algumas notificações não abrem a prévia; o Instagram não emite som algum nos Stories; e a bateria está com desempenho ruim no iPhone XR que estamos testando a atualização.

Então, se você for atualizar, pense que pode enfrentar problemas. E também que um backup pode te salvar, caso se arrependa. Mas, é claro, a recomendação é de que usuários não atualizem os seus dispositivos principais para versões beta, evitando as possíveis dores de cabeça.

Apple e Google: quem copia quem?

Se você comprar um celular atual, verá que as diferenças entre os sistemas são muitas, mas eles oferecem praticamente as mesmas coisas. E isso se dá por atualizações como essas, que aumentam a interatividade, melhoram recursos antigos e fazem adições menores.

O ponto é que, se as notificações do Android são boas, a Apple vai correr para que as do iOS também sejam. O mesmo acontece com o widgets, que a Apple "copiou" e o Google aprimorou com o Android 12.

Vamos usar de exemplo o iPhone 6s e o 3D Touch. O recurso precisava de um hardware sob a tela para mensurar a pressão de toque do usuário, o que era refletido no preço. A Apple enterrou o recurso e passou a usar o software como opção, e o Google também trouxe algo parecido para o Android.

Então, esse tipo de coisa deve continuar acontecendo. Em um um ano podemos ver atualizações enormes, e em outros algumas mais complementares. Até agora o iOS 15 tem se mostrado uma boa atualização, então espere por várias mudanças e melhorias. Muitas delas bem pequenas, mas ainda são melhorias, então, vida que segue.

O iOS deve ser lançado no último trimestre do ano junto dos novos iPhones. Então, pra não perder nada do que vem por aí, fica de olho no TecMundo.

iOS 15 mostra que Apple e Google têm muito em comum [Hands-on]