Polícia prende mãe e filha que hackearam votação de baile nos EUA

1 min de leitura
Imagem de: Polícia prende mãe e filha que hackearam votação de baile nos EUA
Avatar do autor

Uma mulher que trabalhava na secretaria de um colégio e a própria filha foram presas no estado norte-americano da Flórida por um curioso crime virtual. Elas utilizaram os privilégios da funcionária para fraudar um sistema de votação e fazer com que a jovem fosse a mais votada em uma eleição de "rainha do baile".

Segundo o Florida Department of Law Enforcement, o caso aconteceu em novembro de 2020, mas só agora as investigações levaram a um resultado.

A operação foi mais simples do que parece e não envolveu um sistema elaborado de invasão: para realizar a fraude, a dupla utilizou as permissões que a mãe da jovem já possuía por trabalhar como assistente do diretor em outra escola.

Curtindo a vida adoidada

A polícia descobriu que a conta da mãe registrou vários acessos no sistema FOCUS, uma plataforma utilizada por vários colégios nos Estados Unidos que exibe dados como notas, agendas e histórico de estudantes.

O mesmo FOCUS foi usado para contabilizar a eleição de rainha do baile de Homecoming — e mais de 115 votos vieram do mesmo computador, cujo IP remetia à mesma residência.

Laura Rose Carroll.Laura Rose Carroll.Fonte:  Florida Department of Law Enforcement 

Laura Rose Carroll, de 50 anos, foi presa junto com a filha por facilitar o acesso e possivelmente participar do crime. A investigação ainda descobriu que a jovem acessava a conta da mãe com frequência para checar informações privadas sobre colegas e si mesma, inclusive se gabando disso para amigas.

Carroll foi levada para a Escambia County Jail e teve a fiança fixada em US$ 8,5 mil. Já a filha foi transferida para um centro de detenção juvenil na mesma região. Ambas vão responder por crimes virtuais, fraude de identidade e uso não autorizado de dispositivos eletrônicos.

Polícia prende mãe e filha que hackearam votação de baile nos EUA