Índia pede que WhatsApp cancele envio de dados ao Facebook

1 min de leitura
Imagem de: Índia pede que WhatsApp cancele envio de dados ao Facebook
Imagem: Android Authority
Avatar do autor

A polêmica mudança nos termos de privacidade do WhatsApp acaba de ganhar mais um capítulo. O governo da Índia, país que é de longe o maior mercado do app no mundo, solicitou que a empresa cancele a mais recente mudança nas diretrizes de uso, que prevê o compartilhamento de dados com o Facebook obrigatoriamente a partir de maio.

O pedido veio do Ministério de Eletrônicos e Tecnologia da Informação da Índia. Em uma carta escrita para o CEO do WhatsApp, Will Cathcart, o governo pede que a empresa reconsidere a mudança para garantir "privacidade, liberdade de escolha e segurança de dados" para os usuários.

Fonte:  Android Authority 

Segundo informa o Android Authority, a carta enviada ao CEO da empresa também diz "quaisquer mudanças unilaterais nos Termos de Serviço e Privacidade do WhatsApp são injustas e inaceitáveis."

Último recurso?

A carta foi enviada pelo governo indiano para o WhatsApp um dia após um embate judicial na corte de Delhi sobre a atualização de políticas do aplicativo. A alta corte do país considerou as novas políticas voluntárias e disse que os usuários tem a opção de não aceitar as novas diretrizes.

Os novos termos de privacidade do WhatsApp trazem o compartilhamento de dados com o Facebook de maneira obrigatória. Caso o usuário não aceite as diretrizes, a conta no aplicativo poderá ser suspensa ou excluída futuramente.

A mudança é tão polêmica que o WhatsApp adiou o lançamento dos novos termos de privacidade para maio e está adotando medidas para tranquilizar o público. Enquanto isso, concorrentes como Telegram e Signal começaram a ganhar terreno no mercado de aplicativos de mensagens.

A influência do governo da Índia pode colaborar para o WhatsApp reconsiderar a decisão de compartilhar dados com o Facebook. O país conta com a maior base de usuários do app no mundo. Mais de 340 milhões de indianos utilizam o mensageiro, segundo dados de 2019.

Índia pede que WhatsApp cancele envio de dados ao Facebook