WhatsApp adia mudanças nos termos de privacidade

1 min de leitura
Imagem de: WhatsApp adia mudanças nos termos de privacidade
Imagem: Pexels
Avatar do autor

O WhatsApp anunciou nesta sexta-feira (15) que vai adiar em três meses a entrada em vigor da sua nova política de privacidade, cujo ponto mais polêmico é a obrigatoriedade do compartilhamento de dados dos usuários com o Facebook. A atualização nos termos de uso estava prevista para valer a partir do dia 8 de fevereiro.

Criticado pelas mudanças e vendo muitos usuários passando a instalar apps rivais como o Signal e o Telegram, conhecidos pelo maior cuidado com a privacidade, o mensageiro informou ter adiado o lançamento da nova política para 15 de maio.

Ainda de acordo com a nota divulgada no blog oficial do WhatsApp, “ninguém terá a conta suspensa ou excluída em 8 de fevereiro”, se referindo à exigência de concordar com os termos para continuar a usar o aplicativo. A empresa havia dito que quem discordasse não poderia mais continuar na plataforma a partir dessa data.

Notificação avisando sobre as mudanças.Notificação avisando sobre as mudanças.Fonte:  André Dias/Reprodução 

Durante esse tempo extra, o mensageiro promete esclarecer melhor como vai funcionar a privacidade dos dados e a segurança das informações que circulam no serviço. “Tem havido muita desinformação causando preocupação, queremos ajudar todos a entender nossos princípios e fatos”, escreveu a companhia.

Política não será alterada

Apesar de adiar a entrada em vigor dos novos termos de uso, o WhatsApp não irá alterar a obrigatoriedade de permitir o uso dos dados pelo Facebook, de acordo com o The Verge. Ou seja, a partir de 15 de maio será necessário concordar com a política de compartilhamento para continuar no mensageiro.

Segundo o veículo, a empresa espera usar essas semanas a mais para lidar melhor com todas as controvérsias criadas em torno da mudança, passando uma mensagem mais exata a respeito dos pontos alterados.

O mensageiro afirma que as conversas individuais continuam protegidas.O mensageiro afirma que as conversas individuais continuam protegidas.Fonte:  Pixabay 

“A atualização inclui novas opções que as pessoas terão para enviar mensagens para uma empresa no WhatsApp e fornece mais transparência sobre como coletamos e usamos os dados”, explicou o app, complementando a informação dada anteriormente, de que as alterações valem apenas para as comunicações com empresas, preservando as conversas individuais.

Em meio às polêmicas, o Procon-SP notificou o WhatsApp nessa quinta-feira (14), pedindo maiores explicações sobre a obrigatoriedade imposta, dando prazo de 72 horas para a resposta.

WhatsApp adia mudanças nos termos de privacidade