Através da invasão de computadores de uma empresa terceirizada, que presta serviços à Marinha dos EUA, hackers chineses conseguiram obter dados sigilosos de um projeto chamado Sea Dragon (Dragão do Mar).

Oficiais conversaram com o The Washington Post sobre o assunto, informando que o incidente ocorreu entre janeiro e fevereiro deste ano. A empresa terceirizada que sofreu o ataque trabalha com o Centro Naval de Guerra Submarina, com pesquisa, desenvolvimento, teste e avaliação de sistemas autônomos, defensivos e ofensivos, de submarinos.

Foram roubados 614 GB de dados, com informações detalhadas sobre o projeto que implementaria uma nova capacidade ofensiva em armas já existentes, através de navios em atividade da Marinha. Iniciado em 2012, ele pretendia iniciar seus testes em setembro de 2018.

Além das informações do próprio equipamento, os hackers obtiveram dados de sensores, de salas de rádio submarinas relacionadas a sistemas criptográficos e da biblioteca de guerra eletrônica da unidade de desenvolvimento de submarinos da Marinha.

Esse grande roubo de informações acontece ao mesmo tempo que a tensão entre China e EUA está cada vez maior, devido à realização de exercícios militares na região do Pacífico. Ambos possuem presença militar na área, e esse vazamento de informações pode ser problemático para os EUA, pois, com ele, a China teria condições de desenvolver defesas efetivas contra o novo armamento.

Não é a primeira vez que dados conseguem ser acessados por hackers chineses; já ocorreram incidentes como esse desde 2009. Foram registrados até equipamentos militares do exército chinês relativamente semelhantes aos desenvolvidos pelos EUA.

Cupons de desconto TecMundo: