Na madrugada da última quarta-feira (24), um terremoto de 6,2 graus na escala Richter atingiu a região central da Itália e resultou na morte de ao menos 247 pessoas – com incontáveis outras presas sob os escombros de casas e prédios desmoronados. Com o objetivo de facilitar as comunicações durante os procedimentos de busca e resgate, instituições como a Cruz Vermelha estão pedindo para que os cidadãos locais removam as senhas de suas redes WiFi.

Em meio ao desdobramento de uma calamidade dessas, é normal que amigos e familiares de pessoas que estavam na área afetada fiquem ansiosos por receber informações sobre seus entes queridos. No entanto, isso quase instantaneamente resulta em um congestionamento das linhas telefônicas, o que dificulta as coisas na hora que alguém que está na área tentar pedir socorro com urgência.

WiFi aberto facilitaria a comunicação entre as entidades envolvidas nos resgates e as vítimas

A presença de redes com WiFi aberto permitiria que organizações como a Lazio Region e a Cruz Vermelha recebessem acesso facilitado a comunicações via dispositivos móveis, podendo contatar e responder pedidos por meio de serviços como o WhatsApp, Facebook Messenger e Skype, entre muitos outros.

Cuidado extra

O lado ruim de abrir sua rede WiFi é que, mesmo em situações de crise, pessoas mal-intencionadas podem se aproveitar disso para tentar obter dados pessoais dos benfeitores. Dessa forma, é altamente recomendado evitar usar serviços bancários e acessar contas com conteúdo sigiloso enquanto estiver usando uma conexão sem a proteção de uma senha.

Cupons de desconto TecMundo: