O executivo, especialista em segurança e doido de pedra John McAfee aprontou novamente. Muita gente achou que ele iria sossegar após virar CEO de uma companhia, mas ele continua usando táticas bizarras de persuasão, muita malandragem e até ilegalidades para conseguir espaço na mídia e provar seu ponto de vista.

Desta vez, tudo começou quando ele enviou comunicados à imprensa internacional de tecnologia alegando que descobriu uma forma de desbloquear o WhatsApp e ter acesso às mensagens trocadas entre os usuários — algo que seria impossível com a criptografia recentemente implantada no aplicativo.

O International Business Times, o Business Insider e o Russia Times quase caíram na "pegadinha" do maluco. Para comprovar o feito, ele enviaria aos sites alguns smartphones fornecidos por ele e, depois que os jornalistas usassem o WhatsApp no aparelho por algum tempo, ele leria em público todas as conversas do mensageiro que deveriam ser secretas.

Farsa descoberta

Só que essa história estava esquisita demais. Após ser questionado pelas redações e pela firma de segurança Cybersecurity Ventures, ele cedeu e mudou a história: na verdade, o problema não seria a criptografia do WhatsApp, mas uma brecha no Android.

Para provar isso, os smartphones que seriam enviados à imprensa já estavam com malwares pré-instalados — e o objetivo de McAfee era justamente provar a falha do jeito mais maluco possível, hackeando os próprios jornalistas. É claro que a atitude não pegou bem, por melhor que tenha sido a intenção do executivo, já que o keylogger poderia servir facilmente para outros propósitos, inclusive criminais. McAfee já é conhecido por falar coisas mirabolantes só para chamar atenção, como quando afirmou que sabia desbloquear o iPhone do suspeito de terrorismo que nem o FBI conseguia.

Confira a resposta oficial de McAfee

"Eu, talvez, erroneamente, assumi que as pessoas realmente lessem artigos que as interessassem em vez de só manchetes. Se você de fato LER o artigo, o que você aparentemente não fez, eu deixei absolutamente CLARO que não É uma falha do WhatsApp. É uma falha do Google. Você bate em mim por twittar um artigo cuja manchete você não gosta. Claro, o artigo é que é importante, não a manchete. Se estou errado, nós, como sociedade, estamos ferrados."

É claro que os telefones tinham malwares 

"Por favor, reproduza isso palavra por palavra se você tiver colhões. O que, eu já sei, você não tem. É claro que os telefones tinham malwares. Como o malware chegou lá é a história e é o que eu vou soltar depois de falar com a Google. Isso envolve uma séria falha na arquitetura do Android."

Qual você prefere: Telegram ou WhatsApp? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: