De acordo com o Estadão, dados sensíveis de 3,8 milhões de estudantes da rede estadual de São Paulo estavam vulneráveis. Isso aconteceu por causa de um vazamento de senhas de acesso em uma planilha postada em redes sociais, e as informações no documento entregavam acesso a uma plataforma (como a intranet) da Secretaria Estadual de Educação.

Segundo a reportagem, invasores poderiam acessar dados como: nomes completos, notas dos estudantes em avaliações oficiais, escolas onde estudam, além do número de faltas individuais.

A Plataforma Foco Aprendizagem funciona desde 2016

O Estadão também conseguiu um arquivo com mais de 153 páginas mostrando nomes de usuários e senhas para a Plataforma Foco Aprendizagem, utilizada apenas por servidores. A Secretaria Estadual de Educação já tirou a página do ar, registrou boletim de ocorrência e comentou que vai abrir uma sindicância para apurar os fatos.

A Plataforma Foco Aprendizagem funciona desde 2016 e tem como objetivo ajudar as escolas a identificar problemas de aprendizagem em alunos — foi criada pelo governo estadual para aumentar o desempenho no Idesp, índice de avaliação educacional.

De acordo com o relato, o link vulnerável foi descoberto após páginas públicas de servidores da secretaria postarem o domínio em redes sociais. Você pode acompanhar mais detalhes clicando aqui.

Prints

Cupons de desconto TecMundo: