Seguindo a declaração pública da Apple, dizendo que arrumou a maioria das vulnerabilidades exploradas pela CIA no iOS, a Samsung e Microsoft tomaram o mesmo caminho e entregaram declarações para a imprensa e consumidores.

Ontem (7), o WikiLeaks divulgou uma grande quantidade de documentos que detalham como a CIA, agência de inteligência dos Estados Unidos, utiliza ferramentas de espionagem cibernética para vigiar qualquer pessoa no mundo. Nos papéis, são detalhadas as táticas voltadas para invasão de celulares iOS, Android, computadores, roteadores e até televisores smart — e você pode saber mais sobre isso aqui.

Empresas se posicionam contra vigilância da CIA

Sobre o caso, a Microsoft disse que "está ciente do relato em questão" e que está "tratando o assunto com urgência" internamente. Já a coreana notou que "proteger a privacidade e a segurança de consumidores é a prioridade máxima na Samsung" e que estão "cientes do relato em questão e buscam resolver a questão com urgência". Similar, não?

Provavelmente, em pouco tempo, tanto a Microsoft quanto a Samsung virão com explicações melhores e mais detalhes sobre o caso.

Como os documentos vazados pelo WikiLeaks indicam, a CIA tem a capacidade de invadir até televisores para escutar conversas via microfone integrado — smart TVs que utilizam comandos de voz para ações. A invasão instala no televisor um modo chamado "Fake-off", que o deixa "apagado" para o usuário quando, na verdade, ele está ligado internamente e capturando informações.

  • Segundo os documentos, as smart TVs citadas eram da Samsung.

Cupons de desconto TecMundo: