A Samsung publicou hoje uma previsão para seus resultados fiscais do terceiro trimestre de 2016 e, ao contrário do que muitos imaginam — dada a grande polêmica em torno do Galaxy Note 7 —, a empresa espera registrar um bom crescimento nos lucros na comparação com o mesmo período do ano passado.

Essa previsão relata que o lucro proveniente das operações realizadas entre julho e setembro deste ano deve ficar em aproximadamente 7,8 trilhões de won, ou US$ 7 bilhões. O total de receitas nesse período deve ser consolidado no valor aproximado de 49 trilhões de won ou US$ 44 bilhões.

 A companhia deve lucrar algo em torno de US$ 3,6 bilhões a mais

Com isso, a companhia deve lucrar algo em torno de US$ 3,6 bilhões a mais do que nos mesmos três meses de 2015. Esses resultados fizeram as ações da corporação coreana subirem mais ainda, e analistas de mercado já esperavam essa reação e também os resultados positivos.

“Sem os custos do recall do Note 7, esperava-se que a Samsung melhorasse ainda mais seus resultados neste ano”, explicou Chung Chang Won ao Bloomberg, um analista da Nomura Holdings de Seul. “Se a unidade mobile não se meter em mais problemas a partir de agora, e dada a forte performance do negócio de componentes eletrônicos, as ações da Samsung devem continuar sua marcha para cima”, completou.

Divisão mobile com a batata quente

A divisão mobile da Samsung está sendo encarada pelo mercado e pelos analistas como o setor mais fragilizado dentro da corporação nesse momento. Ou seja, está com a “batata quente” nas mãos por enquanto. Não por conta dos resultados financeiros, mas por causa do “vergonhoso” recall do Note 7. Foram registradas diversas explosões do aparelho em vários mercados pelo globo, e a marca não teve escolha se não pedir que os clientes devolvessem seus celulares para receberem novas unidades “seguras”.

Unidades seguras do Note 7 já teriam começado a apresentar os mesmos problemas de explosão da bateria

Entretanto, essas mesmas unidades seguras do Note 7 supostamente já começaram a apresentar os mesmos problemas de explosão da bateria. Mesmo com isso, analistas de mercado acreditam que a Samsung conseguirá vender algo em torno de 8 milhões de unidades do Note 7 até o fim do ano, um corte de 38% nas previsões anteriores para o modelo.

Em breve, a Samsung deve divulgar o relatório final e oficial sobre seu terceiro trimestre fiscal de 2016, com detalhamentos sobre cada unidade da corporação. Só então poderemos saber se o recall do Note 7 vem afetando de fato as vendas de smartphones da marca. Em contrapartida, espera-se que o setor de semicondutores da coreana tenha um resultado espetacular, impulsionado pela alta nos preços de chips nos últimos meses.

Cupons de desconto TecMundo: