A Samsung tentou e tentou outra vez, mas não teve como: o Galaxy Note 7 teve problemas consecutivos de explosões e está até mesmo proibido de entrar em aviões – ou não pode ser ligado/carregado durante o voo. A própria empresa já admitiu que não sabe o que está causando isso, então fica a questão: o que fazer agora? A resposta é: reconstruir a confiança dos fãs.

As palavras vieram do próprio DJ Koh, o chefão da divisão mobile da Samsung. De acordo com o diretor, a equipe de engenheiros ainda está averiguando as causas, mas agora o desafio é comprovar que se trata de um caso isolado para ganhar novamente credibilidade no mercado, assegurando aos consumidores que não há necessidade de temer futuros casos parecidos. Sem sombra de dúvidas, o prejuízo foi mais que financeiro.

DJ Koh pede desculpas ao público

DJ Koh se desculpou com o público e agradeceu os esforços e apoio dos demais funcionários da fabricante. Sem sombra de dúvidas, o presidente da divisão de smartphones está sob muita pressão, pois ele pode perder o cargo sob as acusações de falha no controle de qualidade, que alegam terem sido ignoradas para apressar o lançamento do Note 7 e chegar às lojas antes dos iPhone 7 e iPhone 7 Plus.

Apesar de estar associado à recente polêmica, Koh também está presente em grande parte dos sucessos da Samsung no ramo mobile. Funcionário desde 1984, o atual chefão é quem inventou a S Pen e trouxe o Samsung Pay para a realidade. Por enquanto, o fiasco do Galaxy Note 7 continua, mas a montadora já requisitou que os consumidores troquem o aparelho por outro modelo.

Cupons de desconto TecMundo: