O grande fiasco do Galaxy Note 7 continua se desenvolvendo nas mãos da Samsung. Dessa vez, um aparelho da empresa foi filmado enquanto pegava fogo dentro de uma loja do Burger King na Coreia do Sul. É possível inferir que algum usuário do dispositivo estava com o dispositivo na mesa quando a situação começou a se acontecer.

Quando a pessoa que filmou a ocorrência resolveu ligar a câmera, uma funcionária da loja já estava com grandes luvas de formo prestes a recolher do local o smartphone que soltava fumaça. Ela ainda derruba o dispositivo no chão, o que faz algumas pessoas da plateia soltarem alguns gritinhos.

Não sabemos se a unidade do Note 7 que pegou fogo era ou não do “lote seguro”

Aparentemente, ninguém se machucou. Não sabemos se a unidade do Note 7 que pegou fogo era ou não do “lote seguro”, proveniente do recall que a empresa fez depois que os primeiros dispositivos começaram a entrar em combustão espontânea. Existem boas chances, entretanto, de estarmos falando de um aparelho “antigo”, uma vez que a Samsung alertou que os sul coreanos estavam demorando muito para comparecer às lojas a fim de trocarem seus dispositivos por novos e supostamente seguros smartphones.

Produção parada

Já existem relatos de algo em torno de cinco Galaxy Note 7 seguros terem pegado fogo só nos EUA. Por conta disso, a Samsung teria parado a produção do dispositivo. A empresa posteriormente confirmou essa história, dizendo que “estava ajustando a produção à demanda do modelo”. Confira alguns casos.

Samsung teria parado a produção do dispositivo

primeiro deles teria ocorrido dentro de um avião da empresa aérea Southwest, em Kentucky; apenas cinco dias depois, o jornal KSTP relatou um caso de um jovem de treze anos, em Minnesota, cujo Galaxy Note 7 pegou fogo enquanto era usado, causando queimaduras leves em sua mão.

Já o terceiro caso envolvendo o phablet, por sua vez, ocorreu novamente no Kentucky, quando seu dono, Michael Klering, teria encontrado seu quarto tomado por fumaça tóxica causada pelo seu Note 7 em chamas. O incidente chamou a atenção do público não apenas por ter causado sérios problemas médicos à vítima, forçando-a a ser hospitalizada, mas também porque aparentemente a empresa estaria tentando impedir o caso de chegar a público, tentando tomar posse do dispositivo (o que Klering recusou fazer).

Aparentemente a Samsung estaria tentando impedir o caso de chegar a público

O quarto caso de incêndio com o Galaxy Note 7 “seguro” ocorreu no estado de Virgínia e foi semelhante ao anterior. Ao que Shawn Minter, a vítima, relatou ao site The Verge, seu aparelho teria pegado fogo no começo da manhã, enchendo seu quarto de fumaça, mas além do susto, tudo acabou relativamente bem.

O quinto caso, por fim, teria sido relatado ontem (9), também pelo The Verge, e ocorreu na região de Houston, Texas, mas não teve vítimas.

Fim do Note 7?

Algumas operadoras norte-americanas (as maiores vendedoras de smartphones no ocidente) estão parando de vender o modelo em suas lojas. Elas também vão parar o recall e, em vez de trocar modelos antigos por novos, vão pedir que seus clientes escolham outro smartphone em vez de uma “unidade segura” do Note 7.

Galaxy Note 7 carbonizado

Especula-se que toda essa polêmica possa forçar a empresa coreana a jogar a toalha. Talvez os modelos que já estão em estoque sejam vendidos eventualmente, mas é improvável que façam muito sucesso nas lojas.

Não imaginamos também que a Samsung acabe lançando o Note 7 no Brasil ou em outros mercados que ainda não receberam o produto, para não piorar ainda mais a situação em que já está metida. Contudo, isso não passa de especulação no momento. Fique ligado no TecMundo para saber mais sobre o caso em breve.

Cupons de desconto TecMundo: