Uma das palavras de ordem do primeiro dia do Salão do Automóvel de São Paulo 2016 foi SUVs: quase todas as montadoras mostraram um modelo desse tipo. A Renault, no entanto, entrou de cabeça na onda e apresentou logo três novos utilitários de todos os tamanhos.

Começando pelo compacto Kwid, que vem para tomar o lugar que foi deixado pelo Clio na linha da Renault, foi apresentado também em uma versão conceito chamada de Kwid Outsider. O SUV compacto virá com o novo motor flex SCe 1.0 de três cilindros que gera 82 cv quando abastecido com etanol e que vem com duplo comando de válvulas variável, na admissão e no escape.

Um pouco maior, o Captur é a principal aposta da Renault. O SUV médio vem com um design arrojado e alguns mimos para o condutor, como é o caso dos comandos no volante, quatro airbags, controle de tração e estabilidade e chave por presença.

Serão duas opções de motor: uma com o motor 1.6 SCe de 120 cavalos de potência quando abastecido com etanol, que pode ser combinado a um câmbio manual ou automático CVT-Xtronic, e outra, na versão topo de linha Intense, com um motor 2.0 e câmbio automático.

Para finalizar, o Koleos, que também foi mostrado no Salão de Paris, vem como a opção de SUV full-size da marca. Por fora, ele já exibe a nova identidade visual da Renault, com um prolongamento de LEDs que desce do farol e forma um C.

Na parte de dentro, ele vem equipado com um pacote de infoentretenimento com tela de 8,7 polegadas posicionado na vertical e um sistema de áudio completo da Bose. O sistema conta ainda com a possibilidade de receber novos aplicativos, dando um “quê” de tablet para o display, que pode exibir diversas funções diferentes, desde  a pressão dos pneus até a configuração da iluminação interna.

O motor é um 2.5 de quatro cilindros de 170 cavalos de potência e 23,7 kgfm de torque, acoplado a um câmbio automático X-Tronic. A tração pode ser escolhida entre totalmente dianteira ou com distribuição automática que pode distribuir a potência em 50% para cada eixo, deixando o SUV com tração 4x4 quando necessário.

Mas nem só de SUVs vive o mundo, certo? Por isso, a Renault fez questão de colocar seu foco também sobre seus novos motores 1.0 SCe e 1.6 SCe, que, segundo a montadora, herdaram diretamente algumas tecnologias que vieram diretamente das pistas e são resultado de sua história na Fórmula 1. O bloco de alumínio, que é mais leve, e o duplo comando de válvulas variável são algumas dessas características novas dos propulsores que vão equipar os modelos da marca.

Falando em Fórmula 1, a Renault Sport foi presença garantida no estande, levando um dos monopostos que participam da temporada atual da F1, com direito a motor em exposição e tudo mais. Além dele, um exemplar do R.S. 01 também estava lá: trata-se de um modelo de turismo que participa de competições monomarcas organizadas pela própria divisão esportiva da marca francesa.

Um Sandero R.S. customizado com uma esquema de pintura bem parecido com o utilizado na Lotus de Ayrton Senna de 1986 também foi exibido.

A relação entre os novos motores e a Fórmula 1, inclusive, foram o alvo de uma das ações tecnológicas promovidas pela Renault em seu estande: com a ajuda das empresas HOVR e LOOX VR, que utilizaram um HTC Vive e sensores de movimento, a montadora criou uma experiência que colocava os visitantes dentro de um Box da equipe de F1, e explicava como a história da marca resultou em tecnologias em seus carros de rua.

Fechando o elenco da Renault, os elétricos importados Zoe e Twizy também apareceram e foram colocados em exposição, mas não há planos da montadora de vendê-los por aqui tão cedo.