Facebook revela conteúdos que serão penalizados no feed

1 min de leitura
Imagem de: Facebook revela conteúdos que serão penalizados no feed
Imagem: Pixabay
Avatar do autor

O Facebook atualizou nesta quarta-feira (22) a lista de "Tipos de conteúdo que rebaixamos". Essa é a seleção de postagens que, por serem "problemáticos" ou "de baixa qualidade", não serão priorizadas pelo algoritmo de exibição no feed de notícias dos usuários.

Com o alcance limitado, elas ficarão bem atrás na linha do tempo, o que deve servir de incentivo para que os responsáveis pelos links invistam em conteúdos melhores. Segundo a companhia, as mudanças estão em vigor e as páginas já devem sentir mudanças.

O que foi rebaixado?

Segundo o Facebook, os tipos de conteúdo são divididos em três tópicos, que podem mudar com frequência. Eles envolvem a participação da comunidade, formas de ampliar conteúdos de qualidade e aplicação direta das diretrizes da rede. Confira as diretrizes e cada uma das regras abaixo:

Resposta ao feedback direto das pessoas

  • Ad Farms ou páginas suspeitas de spam;
  • Links de isca de cliques (clickbait), engajamento ou para domínios com suspeita de ocultação;
  • Comentários de baixa qualidade, coordenados, com probabilidade de serem denunciados ou ocultados;
  • Experiências de navegação de baixa qualidade;
  • Eventos ou vídeos de baixa qualidade;
  • Conteúdo sensacionalista ligado à saúde.

Promoção de uma comunidade mais segura

  • Conteúdo limítrofe para os Padrões da Comunidade, que viola os Padrões da Comunidade ou publicado por violadores reincidentes das políticas;
  • Links para páginas com conteúdo sexual e/ou chocante, além de reportagens inadequadas sobre suicídios;
  • Publicações de pessoas que provavelmente têm várias contas ou que apontam para efeito viral suspeito

Incentivo para os criadores de conteúdo investirem em conteúdo de alta qualidade e de valor

  • Domínios com conteúdo original limitado ou desinformação com verificação de fatos;
  • Artigos jornalísticos não originais ou que carecem de autoria transparente;
  • Compartilhamento inautêntico, ou links para domínios e Páginas com “Click-Gap”;
  • Conteúdo de publishers de notícias "altamente desacreditados", que inflam a distribuição artificialmente ou que fazem compartilhamentos excessivos em grupos.

No momento, a rede social está em crise e precisa lidar com uma série de acusações — desde a falta de moderação em celebridades até ignorar estudos sobre malefícios das plataformas em adolescentes.