Facebook protege celebridades da moderação padrão, diz jornal

1 min de leitura
Imagem de: Facebook protege celebridades da moderação padrão, diz jornal
Imagem: TY Lim/Shutterstock
Avatar do autor

O Facebook afirma aplicar suas regras de moderação de conteúdos a todos os que usam a rede social, mas um grupo seleto de usuários teria acesso a concessões especiais. A polêmica foi levantada pelo The Wall Street Journal, em matéria publicada nesta segunda-feira (13).

De acordo com documentos obtidos pelo jornal, "alguns milhões de usuários VIP" do Facebook e do Instagram estariam incluídos em um programa secreto denominado "XCheck", que tem suas próprias regras de moderação. Esse público pode ser isento de algumas ou todas as normas padrão.

Ao contrário dos usuários comuns, que têm uma postagem removida imediatamente caso as tecnologias de inteligência artificial detectem algo errado, os perfis privilegiados conseguem manter tais conteúdos ativos por um tempo. O relatório aponta que eles só podem ser excluídos após passarem por uma moderação diferenciada.

A moderação dos perfis especiais é feita por profissionais mais experientes.A moderação dos perfis especiais é feita por profissionais mais experientes.Fonte:  Unsplash 

Esse processo inclui moderadores mais bem treinados para garantir a aplicação correta dos termos de uso, mas a publicação afirma que apenas 10% das postagens enviadas foram realmente revisadas. Os documentos mostram ainda que cerca de 5,8 milhões de usuários estavam na lista especial em 2020.

Neymar e Trump na "elite secreta"

Um dos nomes mencionados é o do jogador Neymar. Em 2019, a estrela do Paris Saint-Germain postou fotos nuas de uma mulher que o acusou de estupro, conteúdo que deveria ter sido removido imediatamente, mas continuou em exibição por algum tempo.

A postagem teria sido visualizada 56 milhões de vezes, como apontam os documentos, que mostram ainda outras celebridades com tratamento especial. Entre elas, estão o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, atualmente banido da plataforma por dois anos, e o seu filho Donald Trump Jr.

Em resposta à publicação, um porta-voz do Facebook afirmou que o programa objetiva "aplicar com precisão as políticas de conteúdo que podem exigir mais compreensão". Ele mencionou ainda a existência de alguns problemas no sistema, que a empresa está trabalhando para corrigir.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.