Facebook quer usar dados criptografados do WhatsApp para anúncios

1 min de leitura
Imagem de: Facebook quer usar dados criptografados do WhatsApp para anúncios
Imagem: Pixabay/Darwin Laganzon/Reprodução

O Facebook quer desenvolver um método de análise de bate-papos do WhatsApp sem realmente descriptografar as informações, de acordo com relatório publicado pelo site The Information. A suspeita surgiu a partir do anúncio da empresa de Mark Zuckerberg procurando profissionais para analisar a criptografia do aplicativo de bate-papo.

A rede social anunciou vários empregos em seu site para quem deseja trabalhar com tecnologias de preservação da privacidade, como computação segura e anonimização de dados, enquanto "simultaneamente expande a eficiência dos sistemas de publicidade líderes de mercado do Facebook".

Um dos diferenciais do WhatsApp é possuir criptografia de ponta a ponta. Isso significa que apenas os remetentes e destinatários podem ler as mensagens. Ou seja, nem o próprio aplicativo tem acesso ao conteúdo. Isso deve dar a você a tranquilidade de poder dizer o que quiser sem ninguém ver, ler ou ouvir.

Sem acesso ao conteúdo das conversas, fica complicado utilizar o aplicativo de bate-papo para fornecer anúncios direcionados. Esse obstáculo de criptografia do WhatsApp é algo que o Facebook está tentando superar, de acordo com o The Information.

Criptografia homomórfica

Empresas tentam coletar informações de usuários sem violar criptografia. (Fonte: CEC/Reprodução)Empresas tentam coletar informações de usuários sem violar criptografia. (Fonte: CEC/Reprodução)Fonte:  CEC/Reprodução 

Um processo chamado de criptografia homomórfica teoricamente permitiria a coleta de dados para direcionamento de anúncios sem violar a privacidade dos usuários. Outros gigantes da tecnologia, incluindo provedores de computação em nuvem Microsoft, Amazon e Google, também se dedicam ao tema.

Caso as Bigs Techs tenham êxito, a tecnologia poderia permitir que as empresas analisem informações pessoais, como registros médicos e dados financeiros, mantendo os dados protegidos contra ameaças de segurança cibernética.

Dessa forma, a criptografia homomórfica permitiria que o Facebook respeitasse a privacidade dos dados dos usuários, preocupação de autoridades dos Estados Unidos e Europa, ao mesmo tempo que preserva o modelo de negócios da plataforma.

A tecnologia também pode ser uma alternativa para a companhia começar a ganhar dinheiro com o WhatsApp, cujas mensagens são criptografadas, o que significa que o Facebook não pode usá-las para direcionar anúncios.

No Twitter, o CEO do Whatsapp, Will Cathcart, negou que a plataforma esteja pesquisando o uso da criptografia homomórfica. "Não é assim que a tecnologia funciona", afirmou.