Eis mais uma daquelas notícias que envolvem Pokémon GO, mas que não são nem um pouco divertidas – afinal, ela envolve a morte de um garoto de nove anos. Seu corpo foi encontrado na noite da última segunda-feira (8) no rio Tramandaí, localizado em Imbé, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul.

Segundo informações da polícia, o menino foi identificado como Arthur Bobsin e, no momento do acidente, estava acompanhado de um amigo (João Pedro Fernandes), que conseguiu se salvar. Por volta das 15h, os garotos seguiram para um terreno baldio que ficava próximo à casa de um deles para pegar um barco de fibra usado por pescadores da região.

A ideia da dupla era usar o barco para capturar pokémons, mas ele virou próximo à margem do rio. Quando isso aconteceu, ambos caíram na água, e aparentemente não havia nenhum adulto por perto para ver o que havia acontecido ou mesmo acompanhar os meninos em sua jornada.

Equipe de resgate que ajudou na busca pelo corpo do garoto

Também houve a menção de que as buscas pelo garoto começaram na tarde de segunda, mas foram suspensas no início da noite. Posteriormente, o corpo do garoto foi encontrado por volta das 20h por funcionários da Transpetro, uma empresa de transporte que opera na região.

Versão do pai

Ao site do jornal Diário Gaúcho, Márcio Fernandes, pai de João Pedro, infromou que os meninos não estavam jogando Pokémon GO quando o acidente aconteceu, contrariando a versão da polícia. Nas palavras dele, os garotos estavam brincando de bola, pois apenas o sobrevivente tem um celuluar que não é compatível com o game.

"Eles estavam jogando bola na frente de casa e decidiram entrar no caíco, que não estava preso e se soltou. Eles nunca tinham feito isso antes. O João Pedro pulou na água, tentou achar o Artur e não conseguiu", relatou o pai de João Pedro.

Outros acidentes

Vale mencionar que esse não é o primeiro caso de acidente envolvendo pessoas que jogavam Pokémon GO. Além de alguns relatos aqui no Brasil (alguns até relacionados a assaltos), na Califórnia tivemos o caso de dois jogadores que caíram de um penhasco enquanto procuravam bichinhos, e até mesmo o relato de um jovem que foi esfaqueado – e continuou jogando mesmo assim.

[Atualizado - 10/08/2016, 17:30]

O delegado responsável pelo caso afirmou que não foi encontrado o app Pokémon GO no celular que estava com os garotos. Mesmo assim, ele disse ainda que vai continuar investigando para saber se realmente houve influência do game. Caso encontre evidências, vai pedir para que a justiça proíba o app.

Cupons de desconto TecMundo: