Um dos maiores desafios atualmente enfrentados pela NASA em sua missão de exploração espacial é a tarefa de conseguir propelentes para viagens longas. Um projeto desenvolvido por ela, por sua vez, promete ajudar a resolver esse desafio de uma maneira bastante interessante, usando um robô especialista em mineração para coletar materiais importantes da superfície de um planeta remotamente.

Com o nome de RASSOR (sigla para “Regolith Advanced Surface Systems Operations Robot”), o robô tem um conceito bastante interessante, que consiste em um pequeno veículo com quatro “tambores”. Estes contam com pás giratórias que conseguem, ao mesmo tempo, escavar, coletar e armazenar materiais em seu interior, indo de água a oxigênio e até mesmo possíveis combustíveis de foguete.

O RASSOR, vale notar, já está sendo trabalhado há algum tempo pelo órgão norte-americano – de fato, chegamos a falar dele anos atrás em outras matérias –, mas de lá para cá, o robô ganhou uma aparência bem mais ameaçadora. Como você pode conferir no vídeo abaixo, o veículo mais lembra uma pequena máquina de matar, com tantas lâminas e “dentes”.

Outro ponto interessante a notar é que o RASSOR também foi feito para ser extremamente resistente; o que é uma diferença grande, em comparação aos veículos incrivelmente frágeis das sondas da NASA. Além de ser em torno de cinco vezes mais rápido do que a Curiosity, por exemplo, ele é capaz de trabalhar ininterruptamente por até 16 horas e carregar quase 20 quilos de material. Tudo isso e ainda consegue escalar, aguentar quedas e, é claro, escavar.

Infelizmente, a NASA ainda não tem uma previsão para quando o veículo vai entrar em operação. Mas, vendo o que ele já é capaz de fazer agora, não seria surpresa se ele estivesse pronto para ser colocado em órbita em um futuro não tão distante.