Na semana passada, o acidente fatal envolvendo um Uber autônomo voltou a colocar dúvidas na mente dos consumidores de todo o mundo. Naquele caso, o veículo não parou em tempo e atingiu uma pedestre de maneira fata. Já nesta semana, um acidente com um Tesla provocou a morte de seu motorista. Mas agora surgiu a confirmação de que este carro também estava no modo autônomo.

De  acordo com um comunicado enviado pela Tesla: "Momentos antes da colisão, o modo piloto automático estava ligado com o sistema de controle de distância configurado para o mínimo. O motorista recebeu diversos sinais visuais e um alerta de áudio informando que as mãos dele não estavam sendo detectadas no volante por seis segundos antes da batida. O motorista teve cerca de cinco segundos e 150 metros de visão sem obstruções da barreira de concreto (...). Nenhuma ação foi tomada".

É importante mencionar que o Tesla deste acidente não é  um carro autônomo, mas estava apenas com o modo piloto automático ativado. Assim como o Uber de semanas atrás, havia um motorista que poderia ter tomado alguma ação para evitar ou atenuar o impacto.

Vale lembrar que a discussão ainda vai longe. Nesta semana, o Uber foi banido de testes com carros autônomos no Arizona e a NVIDIA afirmou que vai mudar seus testes para ambientes virtualizados. Será que o futuro dos carros autônomos está comprometido?