Os testes da Uber com carros autônomos no estado norte-americano do Arizona foram interrompidos por tempo indeterminado. A ordem veio do governador do estado, o republicano Doug Ducey, após o acidente fatal envolvendo um veículo da companhia que aconteceu na semana passada, resultando na morte da pedestre Elaine Herzberg.

A Uber já havia parado com os testes após o início de uma investigação da National Transportation Safety Board, organização do governo dos Estados Unidos responsável por averiguar os acidentes envolvendo transportes civis. Outra investigação sobre o caso também está sendo feita, essa de responsabilidade da polícia de Tempe, cidade onde o fato aconteceu.

Na carta em que ordena a suspensão dos testes, o governador do Arizona afirma que a decisão foi tomada levando em consideração os interesses da população do estado e classifica o acontecimento como “uma falha inquestionável” por parte da Uber. Ele diz ainda que o vídeo mostrando que o motorista da empresa estava desatento momentos antes do atropelamento é “perturbador e alarmante”.

Tecnologia da Uber já vinha sendo questionada

A Uber vinha testando carros no estado do Arizona há dois anos, após ter sido expulsa da Califórnia por se recusar a obter as permissões necessárias para operar na região. Recentemente, uma reportagem do The New York Times mostrou que a tecnologia dos carros autônomos da companhia foi criticada internamente diversas vezes, com engenheiros afirmando que as intervenções dos motoristas humanos estavam sendo necessárias mais vezes do que o esperado. O diretor executivo da concorrente Waymo também falou sobre o caso, afirmando que o acidente poderia ser evitado.