A Nvidia anunciou que vai suspender temporariamente seus testes com veículos autônomos após o acidente fatal envolvendo um carro da Uber nos Estados Unidos. Mais cedo, a própria Uber foi proibida de continuar operando com sua frota de carros autônomos no estado americano do Arizona, onde o caso aconteceu. A Nvidia testa sua tecnologia nos Estados Unidos, na Alemanha e no Japão.

A companhia se manifestou, através de um porta-voz, dizendo que o caso mostra as dificuldades envolvidas no desenvolvimento desse tipo de tecnologia: “Essa tragédia é exatamente o motivo pelo qual nos comprometemos a aperfeiçoar essa tecnologia que pode salvar vidas. No final das contas, veículos autônomos serão bem mais seguros que motoristas humanos, por isso esse trabalho importante precisa continuar”.

A Nvidia tem seus próprios carros para testes, mas ela também fornece a plataforma de computação utilizada pela Uber.

Jensen Huang, CEO da Nvidia, também se pronunciou sobre o caso: “Temos cuidado extremo e as melhores práticas para testar nossos carros. Nossa primeira preocupação é a segurança, nossos engenheiros estão nesses veículos. Como bons engenheiros, precisamos utilizar essa oportunidade para aprender com os dados, devemos dar para a Uber a chance de entender e explicar o que aconteceu. A melhor forma de lidar com esse tópico não é desencorajar [a tecnologia], mas elucidar o tema”.

A Nvidia tem seus próprios carros para testes, mas ela também fornece a plataforma de computação utilizada pela Uber, além do chip Xavier, usado nessa área. Esses elementos são uma parte extremamente importante dos veículos, já que eles precisam processar rapidamente as diversas informações captadas e recebidas pelos sensores. A empresa se juntou à Toyota, que também anunciou uma pausa nos testes com veículos autônomos. Em ambos os casos, as companhias se referiram à pausa como temporária, deixando claro que irão continuar desenvolvendo e aprimorando a tecnologia.

*Colaborou para esta matéria: Tiago Alcântara